urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs SAPO Blogs Este é o blog da equipa do SAPO Blogs. blogs 2015-03-24T17:09:44Z urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:215378 Pedro 2015-03-24T16:46:00 Coisas boas 2015-03-24T16:57:44Z 2015-03-24T17:09:44Z <p class="sapomedia images"><img class="" style="padding: 10px 10px;" title="umanodeestatisticas.jpg" src="http://1.fotos.web.sapo.io/i/o160657b2/18164314_jBr8N.jpeg" alt="umanodeestatisticas.jpg" width="800" height="421" /></p> <p class="sapomedia images">Para começar, abrimos a janela de tempo das <strong>Estatísticas</strong>. Os nossos autores passam a poder consultar <strong>um ano de dados</strong> relativos ao tráfego dos seus blogs (o anterior intervalo de tempo era de 6 meses). Na página <strong>Estatísticas</strong>, basta clicar no separador <strong>Último ano</strong>, para seguir a evolução das visualizações, entre outros dados. <a href="http://ajuda.blogs.sapo.pt/estatisticas-9883">Mais informações</a>.</p> <p class="sapomedia images"> </p> <p class="sapomedia images"><img class="" style="padding: 10px 10px;" title="leiturascomvideos.jpg" src="http://7.fotos.web.sapo.io/i/o4a06453c/18164313_sdGbD.jpeg" alt="leiturascomvideos.jpg" width="800" height="506" /></p> <p class="sapomedia images">O novo ponto de encontro dos nossos blogs, a página <a href="http://blogs.sapo.pt/leituras">Leituras</a>, também tem novidades. Passámos a apresentar <strong>mais posts</strong> e a mostrar quaisquer <strong>vídeos</strong> incluídos (<a href="http://videos.sapo.pt">SAPO Vídeos</a>, Youtube, Vimeo, etc). <a href="http://ajuda.blogs.sapo.pt/leituras-16469">Mais informações.</a></p> <p class="sapomedia images"> </p> <p class="sapomedia images">Esperamos que gostem! <strong>O vosso feedback é importante!</strong> Contamos com as vossas dúvidas e sugestões nos comentários a este post.</p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:215091 Pedro 2015-03-23T09:35:00 Meet the blogger: Entre Parêntesis 2015-03-23T09:45:35Z 2015-03-23T09:45:35Z <p><img class="" style="float: left;padding: 10px 10px;" title="carolina.jpg" src="http://7.fotos.web.sapo.io/i/o85067cea/18155848_VdwnK.jpeg" alt="carolina.jpg" width="150" height="150" />Esta semana colocámos cinco perguntas à Carolina, uma "apaixonada pelas letras" que sonha vir a escrever livros. Para já, escreve no <a href="http://entre-parentesis.blogs.sapo.pt/">Entre Parêntesis</a>.</p> <p> </p> <p><strong>Para quem não a conhece, pode apresentar-se?</strong></p> <p>Ora bem: Carolina, vinte anos, portuense de gema, portista de coração, amante de livros e extremamente caseirinha. <br />Quando era pequenina queria ser engenheira informática; quando cresci mais um bocadinho percebi, através dos blogs e dos livros, que a minha verdadeira paixão não eram os computadores nem os números mas sim as letras e a escrita. Hoje em dia vou a meio do curso de Ciências da Comunicação e o plano é, quando acabar, tirar algo relacionado com gestão e depois enveredar pelo ramo têxtil (onde cresci).<br />Isto para dizer que sou ambivalente: gosto de muita coisa e nunca me imaginaria a fazer uma só. Continuo a adorar computadores e a aprender a programar aos bocadinhos, da forma que posso; adoro livros e escrita; adoro moda e a parte que está por detrás dela. Para além disso, cozinhar é outra das minhas grandes paixões. E também adoro comer, claro está. Quero poder fazer de tudo um bocadinho e escrever é mesmo uma das minhas prioridades.<br /><br /><strong>Do que fala o Entre Parêntesis? E de que maneira evoluiu o blog desde 2011?</strong></p> <p>O Entre Parêntesis fala da minha vida, daquilo que gosto e detesto, daquilo que acho sobre muitos assuntos, dos livros que leio e a comida que como. É a minha escapadela do dia-a-dia, uma espécie de diário aberto, mas escrito para os outros. Foi precisamente isso que mudou desde o início do blog até agora: antes escrevia para mim, numa espécie de terapia e desabafo; hoje escrevo porque gosto, mas a pensar se os outros também vão gostar de saber aquilo que tenho para dizer. Está mais "comercial", pelo lado positivo. Falo menos de coisas pessoais e muito íntimas, embora continue a escrever sobre dissabores que a vida me traz e outras peripécias. Agora tento alhear-me desta minha faceta negativa e escrever e pensar noutras coisas boas. Gosto particularmente de dar opiniões sobre tudo e mais alguma coisa: desde o assunto polémico do momento a uma roupa qualquer que tenha visto no site da Zara. Consigo ser soft mas também corrosiva, dependendo dos dias, mas dá-me sempre gozo escrever. E depois, claro, partilho experiências e "ouço" também as dos meus leitores.<br /><br /><strong>Pode partilhar connosco o post mais comentado do <a href="http://entre-parentesis.blogs.sapo.pt/">Entre Parêntesis</a>?</strong></p> <p>Posso, mas devo avisar que não é o mais interessante. O post com mais comentários que tive (66) foi um post com... uma música. Gerou-se uma discórdia entre três comentadores sobre a qualidade da música e dos artistas e choveram comentários numa publicação que, basicamente, foi só uma partilha de estado de espírito. Já agora, a música era a "Little Things", dos One Direction - grupo de quem não sou particularmente fã mas de quem gosto de um par de músicas.<br />Podia dizer que nos outros dois lugares do "pódio" estão dois posts mais interessantes... mas estaria a mentir. O segundo post mais comentado foi quando anunciei que já tinha os meus bilhetes para o último filme do Harry Potter (que comprei com antecedência, como mega fã que era - e sou). Mais uma vez, foi uma troca de comentários mais acesa sobre o filme.<br />Por fim, o bronze vai para um post em que pedia opiniões sobre cortes de cabelo curtos, numa altura em que ainda tinha o cabelo até meio das costas. Passado um par de dias cortei-o pelo queixo. Tantas opiniões deram resultado!<br /><br /><strong>A Carolina diz e parece ser uma apaixonada por livros. Como escolhe os livros que lê?</strong></p> <p>Compro a maioria dos livros pela capa - se uma capa me atrair é meio caminho andado para ler o livro. Mas antes de o comprar costumo ir ler as críticas no Goodreads, para ver a opinião geral das pessoas - já deixei muitos livros na loja à conta disso.<br />Mas depois de comprados há muitos livros que não leio na hora. Ponho-os na estante do meu quarto, à espera que chegue a altura certa. A estante não é muito grande por isso tem de haver alguma rotatividade: se uns livros entram, outros têm de ir saindo (é claro que há certos livros que têm lugar cativo). Tenho a sorte de ter uns pais que sempre gostaram de ler, por isso também trago muitos livros da nossa biblioteca, mas o processo de "seleção" é o mesmo - passo os olhos pelas lombadas e se algo me despertar interesse, trago-o para o quarto.<br />Assim, de cada vez que termino um livro, sento-me dez minutos em frente à estante e vejo aquilo que está por ler. Abro os livros, leio a primeira página se for caso... e eventualmente escolho um. É uma espécie de ritual de que gosto muito e que me dá quase sempre o livro certo para cada altura.<br /><br /><strong>Pode recomendar-nos um livro e outro blog no SAPO?</strong></p> <p>A única parte difícil desta pergunta é ser só um de cada! <br />Um livro: <strong>O sentido do fim</strong>, de Julian Barnes. É daqueles livros difíceis de descrever, mas absolutamente deliciosos de ler. A escrita é fabulosa, a história - para mim - encantadora. É um livro que vou reler nos próximos tempos.<br />Um blog: <a href="http://wordscanchangeyourlife.blogs.sapo.pt">Words Can Change Your Life</a>, por ser diferente da maioria dos blogs. Tem um toque de sarcasmo e ironia que adoro. É simplista e complexo ao mesmo tempo e é dos poucos blogs que tem a capacidade de me deixar a pensar seriamente sobre um assunto. Só peca por não postar com mais regularidade. Mas, como já uma vez escrevi, é óptimo para fugir da rotina!</p> <p> </p> <p><strong>Obrigado, Carolina!</strong></p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:214810 Pedro 2015-03-16T10:27:00 Meet the blogger: Tiago Presley 2015-03-16T10:39:16Z 2015-03-16T10:42:18Z <p class="sapomedia images"><img style="float: left; padding: 10px 10px;" title="tiago.jpg" src="http://1.fotos.web.sapo.io/i/o0c148bb4/18129654_GK8Wz.jpeg" alt="tiago.jpg" /></p> <p>O Tiago Presley é um dos repórteres do <a href="http://onthehop.sapo.pt/">SAPO on the hop</a> e bloga diariamente no <a href="http://onedayonesong.blogs.sapo.pt/">One Day, One Song</a>. Colocámos-lhe 5 perguntas para o ficar a conhecer melhor.</p> <p> </p> <p><strong>Já és uma cara familiar do público do SAPO, mas para quem não te conhece, quem é o Tiago Presley?</strong></p> <p>Boa pergunta. Para quem me conhece sou o Tiago. Para quem não me conhece também sou o Tiago.<br /><br />Muito resumidamente, acho que sou uma pessoa que adora pessoas e que adora comunicar - e não só do ponto de vista do trabalho (acho sempre redutor quando alguém numa bio de uma rede social escreve a profissão ou que estuda “x” ou “y”... Acho que isso não define ninguém).<br /><br />Mas para quem está mesmo interessado em saber mais sobre mim e como adoro música, posso dizer que sou como uma playlist que tem Ludovico Einaudi, Sigur Rós, Muse, Coldplay, James Bay, Jaymes Young, que se misturam com Sam Smith, Ellie Goulding, Edith Piaf, Banda do Mar e que fica completa com Rosinha, Ana Malhoa ou com qualquer música do “Fabuloso Destino de Amélie”. É muita coisa misturada, mas eu sou assim.<br /><br /><strong>Fazes rádio, escreves e filmas reportagens sobre música e cinema (até tens um <a href="http://kanal.pt/617912">MEO Kanal</a>), já publicaste um livro e arranjas tempo para blogar, sempre com sentido de humor. E ainda só tens 21 anos! O que queres ser quando fores "grande"?</strong></p> <p>Quero ser a Carmen Miranda 2.0 - ela é de Marco de Canaveses como eu e chegou a Hollywood... Eu não peço tanto porque abdico bem da fruta na cabeça.<br /><br />Como não irei usar fruta, o meu grande sonho é ter um talk-show - o estúdio até pode ser igual ao da Fátima Lopes, mas o género tem de ser mais à Conan O’brien e Jimmy Fallon. Este é um dos primeiros sonhos e que não dá para abandonar. <br /><br />Mas “quando for grande” quero ser tanta coisa. Por exemplo, se me dissessem “vais trabalhar para sempre na cobertura de concertos/ festivais”, eu seria feliz. Como também seria feliz só a fazer rádio - coisa que nunca quero deixar de fazer!Não me interessa se é em rádio local ou nacional, para mim é igual. Aliás, acho que nas rádios locais há mais liberdade, mais sinceridade e proximidade com os ouvintes - que são quem dão razão de ser à rádio. (Mas Comercial, RFM, Mega Hits, Cidade FM, RR, Antenas 1, 2 ou 3 também podem contar comigo!)<br /><br /><strong>Já tiveste a oportunidade de entrevistar e conhecer muita gente do meio artístico nacional. Quem destacas pela positiva?</strong></p> <p>Às vezes pergunto-me isso porque, no geral, gostei de toda a gente que conheci. Há algumas pessoas que marcaram por diversos motivos. Por exemplo, a Ágata foi uma das maiores surpresas porque alinhou em todas as minhas brincadeiras na entrevista.<br /><br />Conhecer a Maria de Medeiros também foi algo incrível - em especial andar de elevador com ela (ok, dito assim não tem muito encanto... talvez assim fique melhor: Andei de elevador com uma actriz do Pulp Fiction!! - soou melhor? Espero que sim).<br /><br />Poderia destacar mais pessoas. Mas destaco antes a aprendizagem - todas as pessoas que entrevistei e/ou conversei ensinaram-me coisas. Fico sempre mais rico depois de uma conversa - por falar nisso, tenho um autografo da Natalie Dormer (Game of Thrones e Hunger Games)... Se alguém fizer uma boa of€rta...<br /><br /><strong>Começaste há pouco tempo o <a href="http://onedayonesong.blogs.sapo.pt/">One Day, One Song</a>, onde te desafias a destacar diariamente uma canção. Como está a correr esse desafio? Até quando pensas que vai conseguir manter o ritmo?</strong></p> <p>Está a correr muito bem. Eu costumava anotar músicas num moleskine para depois a ir revistar, mas não o fazia fielmente. Então surgiu a ideia do blog e assim comprometo-me a publicar diariamente uma música.<br /><br />Quando pensei no blog dei-lhe um ano de vida. Mas, como é algo tão simples, penso que a validade pode ser alargada porque todos os dias oiço música e é só escolher uma dessas músicas.<br /><br /><br /><strong>Existe alguma coisa no horizonte (um concerto, livro, etc) que te esteja a entusiasmar?</strong></p> <p>Há um livro que me entusiasmou ontem, hoje e, de certeza, que me irá entusiasmar amanhã e sempre. Já o li algumas vezes e visito-o regularmente. É o “Amor é fodido” do Miguel Esteves Cardoso. Nunca desilude e já o tenho desde 2012.<br /><br />Mas pensado apenas no futuro, quero muito ir ver James Bay ao Alive porque acompanho a carreira dele desde o início. Quero voltar a ver Sam Smith. Isto são algumas coisas que desejo ver, mas geralmente cruzo-me com concertos (ou mesmo filmes ou livros) que nunca me passaram pela cabeça e que são verdadeiras surpresas. E eu gosto de surpresas - é a única situação em que ficámos sem controlo e sabe bem.</p> <p> </p> <p><strong>Obrigado, Tiago!</strong></p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:214645 Pedro 2015-03-09T09:38:00 Meet the blogger: Iolanda Rodrigues 2015-03-09T09:44:03Z 2015-03-09T11:01:12Z <p><img class="" style="float: left; padding: 10px 10px;" title="iolanda.jpg" src="http://9.fotos.web.sapo.io/i/o36065717/18104949_fVkuS.jpeg" alt="iolanda.jpg" width="150" height="150" /><a href="http://eatplaylove.blogs.sapo.pt/">Eat, Play &amp; Love</a> é o nome do seu blog e lema diário. Esta semana colocámos cinco perguntas à Iolanda Rodrigues, nutricionista e blogger.</p> <p> </p> <p><strong>Assinalou há poucos dias um ano de blog no <a href="http://eatplaylove.blogs.sapo.pt/">Eat, Play &amp; Love</a>. O que a levou a criar um blog e partilhar um pouco do seu mundo?</strong></p> <p>É verdade. Parece que foi ontem que o Eat, Play &amp; Love foi lançado e já lá vai um ano! O que me levou a criá-lo foi o gosto pela partilha de conhecimentos e de pedaços de mim. Surgiu numa fase mais complicada da minha vida, em que me vi obrigada a criar uma motivação e uma razão para estar em constante atualização. Sempre me disseram que tinha jeito para a escrita e para comunicar. Acabei por levar mais a sério essa minha capacidade, e decidi arriscar. O blog foi um dos projetos que foi para a frente, e não podia estar mais contente com o retorno tão positivo que teve na minha vida. <br /><br /><strong>Para quem não conhece o seu blog, que post recomendaria ler primeiro?</strong></p> <p>Recomendaria a ler o post <a href="http://eatplaylove.blogs.sapo.pt/um-ano-de-eat-play-love-obrigado-20950">Um ano de Eat, Play &amp; Love</a>. Fiz uma compilação dos melhores momentos e dos posts mais lidos ao longo do ano, onde o leitor pode ir ao encontro do tema que mais lhe agrada, dentro do mesmo post.<br /><br /><strong>É nutricionista e a alimentação é um tema recorrente do blog. Qual é a sua percepção dos hábitos de alimentação das gerações mais jovens? Instagramamos mais a nossa comida, mas, em geral, estamos a comer melhor?</strong></p> <p>Está a ser feito um grande esforço a nível nacional, através do Programa Nacional para a Promoção de Alimentação Saudável da Direção Geral de Saúde, o que nos leva a perceber que, de facto, os hábitos alimentares dos portugueses são uma preocupação atual. Principalmente no que toca às gerações mais jovens, que serão o nosso futuro. Felizmente, cada vez mais a mensagem da importância de uma boa alimentação é-lhes passada desde tenra idade, nas escolas. E a adesão a projetos e parcerias por parte das escolas é cada vez maior, o que proporciona às crianças uma melhor educação alimentar. Não nos podemos esquecer, contudo, que as nossas raízes são criadas em casa, e que os pais têm um papel fundamental na implementação dos bons hábitos alimentares. Daí ser tão importante a passagem de informação aos encarregados de educação, para que aquilo que se aprende na escola seja também refletido em casa.<br /><br />De uma forma geral, penso que estamos a começar a ter uma maior adesão a uma boa alimentação. As pessoas preocupam-se mais, não só porque querem chegar em boa forma ao Verão, mas porque se começam a consciencializar das consequências de maus hábitos alimentares. As redes sociais acabam por ajudar nesse sentido. O conceito de "ser saudável” está em voga e a ser rapidamente propagado. No fundo, vamos sendo contagiados pela constante partilha de imagens e vídeos de healthy lifestyle que nos transmitem uma sensação de bem-estar, nos incentivam, e até mudam a nossa percepção sobre como aproveitar melhor o nosso dia-a-dia. <br /><br /><strong>Ao nível da alimentação, tem algum "guilty pleasure”?</strong></p> <p>Tenho muitos "guiltys pleasures”. Adoro comer de tudo e não me privo de nada. O desafio é saber recioná-los em porções, dias, timing e claro, conciliar tudo com exercício físico.<br /><br /><strong>Pode partilhar um motivo de entusiasmo recente (um livro, viagem no horizonte, etc)?</strong></p> <p>Ontem foi publicado um artigo sobre bloggers do nosso futebol, na Revista J, onde o Eat, Play &amp; Love está em destaque. Não percam!</p> <p> </p> <p><strong>Obrigado, Iolanda.</strong></p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:214333 Pedro 2015-03-02T10:21:00 Meet the blogger: Jorge Soares 2015-03-02T10:27:14Z 2015-03-02T10:37:49Z <p class="sapomedia images"><img style="float: left; padding: 10px 10px;" title="jorgesoares.jpg" src="http://9.fotos.web.sapo.io/i/o8206e8e9/18081913_mcT9D.jpeg" alt="jorgesoares.jpg" /></p> <p>Esta semana entrevistámos o Jorge Soares, que pergunta há oito anos seguidos <a href="http://oqueeojantar.blogs.sapo.pt">O que é o jantar?</a>.</p> <p> </p> <p><strong>O que o faz continuar a blogar ao fim deste tempo?</strong><br /><br />O Gosto pela escrita, com o tempo tornou-se quase um vício, gosto de partilhar as minhas ideias e de as discutir com o mundo. Através do blog conheci pessoas fantásticas, pessoas da blogosfera e até algumas que nem sequer têm blog mas que de uma ou outra forma se sentiram tocadas ou identificadas com as minhas palavras e decidiram enviar-me um mail.<br /><br /><strong>Porquê "O que é o jantar?"?</strong><br /><br />Está explicado algures no blog... <a href="http://oqueeojantar.blogs.sapo.pt/8565.html">aqui</a>, o nome foi posto quando eu não tinha uma ideia muito clara sobre a blogosfera e o que queria do blog..... agora não o mudaria por nada.<br /><br /><strong>O feedback dos leitores é decisivo para manter esse ânimo? Que conselhos daria a quem hoje em dia cria um blog e se debate com a falta inicial de feedback dos leitores?</strong><br /><br />Sim, o feedback dos leitores é muito importante, assim como é muito importante ler e comentar outros blogs, eu ando numa fase em que não tenho muito tempo para ler e comentar outros blogs e nem sempre dou a atenção necessária aos comentários que me deixam...  isso nota-se não só no numero como na qualidade dos comentários que recebo.<br /><br />A fase inicial de qualquer blog pode ser frustrante durante meses sentimos que estamos a falar para o boneco e isso pode ser desencorajador, nem todo o mundo consegue ter a perseverância suficiente para passar esta fase, a única maneira de a passar é ler e comentar outros blogs, é isso que traz leitores.<br /><br /><strong>Um dos temas que o Jorge já abordou no blog, e que lhe toca perto, é a adoção. O que é importante saber sobre a adoção em Portugal?</strong><br /><br />Há muitas coisas importantes a saber sobre a adopção em Portugal, a maioria das pessoas tem uma ideia errada sobre a forma como as coisas funcionam, há uma série de mitos e meias verdades que se repetem até na comunicação social.<br /><br />É por isso que escrevo tantas vezes sobre adopção, já passei por dois processos e acho que é muito importante que as pessoas vão para a adopção com os pés bem assentes no chão e preparadas para o que os espera, a adopção é algo muito importante na vida de quem adopta e de quem é adoptado, não pode nem deve ser visto como um acto de caridade nem como uma forma de ajudar as pobres criancinhas.<br /><br />Os meus posts sobre adopção deram origem ao blog <a href="http://nosadoptamos.blogs.sapo.pt">Nós Adoptamos</a>, que tenho meio abandonado, mas que nunca morre.<br /><br /><strong>Pedimos à anterior entrevistada uma pergunta para o nosso próximo entrevistado, no caso, o Jorge. Aqui fica: "Ainda te lembras da primeira publicação que fizeste no blog?"</strong><br /><br />Claro que lembro, até porque de vez em quando volto lá ... e acho que é a imagem perfeita do que seria o blog, uma receita que ainda hoje costumo fazer e um comentário sobre uma parvoíce do governo da China.....</p> <p> </p> <p><strong>Obrigado, Jorge!</strong></p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:214062 Pedro 2015-02-23T09:35:00 Meet the blogger: Joana Sousa 2015-02-23T09:45:41Z 2015-02-23T15:19:03Z <p class="sapomedia images"><img class="" style="float: left; padding: 10px 10px;" title="joana.jpg" src="http://3.fotos.web.sapo.io/i/odf146037/18054926_erVkP.jpeg" alt="joana.jpg" width="150" height="150" /></p> <p>Esta semana entrevistámos a <a href="http://joanarssousa.blogs.sapo.pt/">Joana Sousa</a> sobre filosofia, criatividade e blogs.</p> <p> </p> <p><strong>No seu <a href="http://blogs.sapo.pt/profile?blog=joanarssousa">perfil</a>, identifica-se como "sou filósofa". Como é que a Filosofia entrou na sua vida?</strong></p> <p>A família diz que sempre gostei muito de perguntas, desde pequena. Quando me perguntavam "o que queres ser quando fores grande?" respondia: jornalista - profissão onde o perguntar também é uma constante.<br />Acho que levei aquilo a que se chama  "idade dos porquês" muito a sério e quando conheci a filosofia no secundário, rendi-me aos seus encantos. Acabei por licenciar-me nesta área. Depois trabalhei na banca, estudei recursos humanos e consultoria até me dedicar à filosofia para crianças. <br />Em 2008 criei o meu projecto filocriatiVIDAde | filosofia e criatividade e tenho andado um pouco por todo o país - e pelo mundo, pois já estive em Maputo - a promover oficinas de filosofia e criatividade, para crianças e jovens. Também dou formação a pais, educadores, professores e agentes educativos. <br />Actualmente estou a trabalhar em duas escolas públicas, assegurando aulas de filosofia em seis turmas do 1º ciclo (1º ao 4º ano, entre os 5 e os 10 anos de idade). <br /><br /><br /><strong>No JoanaRSSousa, conta algum do seu trabalho a ensinar Filosofia a crianças. É mais fácil falar de Filosofia a crianças ou adultos?</strong></p> <p>Boa pergunta. O meu blog <a href="http://joanarssousa.blogs.sapo.pt/">JoanaRSSousa</a> foi criado com a intenção de divulgar o meu trabalho, a minha investigação, a minha caminhada no mundo da filosofia. Quando conheci a filosofia para crianças e as suas metodologias percebi que era isso que queria fazer. <br />Tem sido um desafio constante. É um desafio duplo: "filosofar" com as crianças, tornando os "trabalhos para pensar" em jogos, em actividades lúdicas que os cativem e perante as quais eles sintam alguma relação com a sua vida; o outro lado do desafio relaciona-se com a desconstrução de uma série de tabus e de preconceitos que os adultos têm perante a filosofia em si e sobretudo perante a filosofia para crianças. "Mas a senhora ensina filosofia aos meninos? As obras de Kant?" Nada disso. Nas minhas aulas ou oficinas partimos daquilo que são as coisas, as situações próximas das crianças para poder trabalhar aspectos filosóficos do pensamento. Partimos do princípio que não saber a resposta não é um problema - temos oportunidade de investigar, em conjunto, a resposta - ou as várias que possam existir. <br />Esta atitude é mais difícil de encontrar nos adultos, que já estão "cheios" de respostas e nem sempre se disponibilizam para investigar, mudar de ideias, errar, voltar atrás e encontrar respostas - ou até mais perguntas.<br />Voltando à pergunta: é mais fácil com as crianças, sim. O difícil é tornar isso interessante e apelativo para elas, dia após dia. <br />Um dia um pai encontrou-me à saída da escola e perguntou: "então a senhora é que é a professora de filosofia? há-de me explicar como é que transforma uma pergunta num jogo!". Por isso é que o meu material de trabalho inclui baralhos de cartas, caixas de sapatos, post its - para além de livros e essas coisas que naturalmente se encontram nas salas de aula.<br /><br /><strong>No JoanaRSSousa, escreve várias vezes sobre <a href="http://joanarssousa.blogs.sapo.pt/tag/filocriatividade">filocriatividade</a>. O que significa?</strong></p> <p>filocriatiVIDAde é o nome do meu projecto, que combina duas áreas nas quais trabalho e investigo: a filosofia e a criatividade. Durante o meu percurso académico acabei por estudar e trabalhar algumas técnicas como os mapas mentais (Tony Buzan) e os seis chapéus do pensamento (Edward de Bono); o meu projecto é o resultado do cruzamento das metodologias da filosofia para crianças (Matthew Lipman e Oscar Brenifier) e das técnicas que referi, que me permitiram criar um estilo de facilitadora/formadora próprio. <br />A expressão que criei une filosofia e criatividade. Coloco a palavra VIDA em maiúsculas precisamente para salientar este aspecto vital, fundamental da filosofia, do pensar, para a vida de cada um de nós. <br /><br /><strong>A Joana escreve em vários blogs. O que é blogar para si?</strong></p> <p>Costumo dizer que cheguei tarde ao mundo da internet e depois ao mundo dos blogs. Depois de chegar e de lhe tomar o gosto assumo a postura "daqui não saio, daqui ninguém me tira". <br />Os blogs são espaços de partilha; no meu caso, tenho vários por opções de comunicação. <br />Um blog relacionado com o meu trabalho, onde partilho as minhas aventuras no país das filosofias.<br />Outro onde falo de tudo e mais alguma coisa que se passa na minha vida - os filmes, as músicas, os amores, os desamores, a família, os animais, as coisas curiosas que me acontecem no dia a dia. <br />Já fiz amigos por causa dos blogs - e já me contactaram para trabalhar por causa do blog. Já me aconteceu ser interpelada por "desconhecidos" que me perguntam "Não és a lady bug?" ou "Tu não és a joana sousa da filosofia? Acompanho o teu blog." Acho isso muito positivo e fico contente quando acontece.<br />Os meus blogs funcionam como uma espécie de "bilhete de identidade" para me apresentar no vastíssimo mundo da internet. Por mais que as redes como o facebook  e o twitter  façam parte da minha vida e da forma como comunico, os blogs são o cantinho, o porto seguro,  onde gosto de "arquivar" momentos (profissionais ou pessoais) que quero partilhar com o mundo. <br /><br /><strong>O que perguntaria ao próximo blogger desta rubrica?</strong></p> <p>"Ainda te lembras da primeira publicação que fizeste no blog?"</p> <p> </p> <p><strong>Obrigado, Joana!</strong></p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:213891 Pedro 2015-02-16T09:22:00 Meet the blogger: João Pascoal 2015-02-16T09:42:45Z 2015-02-16T09:42:45Z <p><img class="" style="float: left;padding: 10px 10px;" title="mmexport1419340144237 (2).jpg" src="http://0.fotos.web.sapo.io/i/o14145885/18026197_jWlHm.jpeg" alt="mmexport1419340144237 (2).jpg" width="136" height="152" />O João decidiu continuar os seus estudos na China e criou o blog <a href="http://ondasuaves.blogs.sapo.pt/">Ondas Suaves</a> para registar as suas experiências e impressões ao longo do caminho. Colocámos-lhe cinco perguntas por e-mail.</p> <p> </p> <p><strong>Cinco meses depois, qual é o balanço provisório da tua viagem?</strong></p> <p>O balanço é mais que positivo. Desde o primeiro ano de universidade que ando a estudar sobre a China e por mais expectativas que tivesse, o resultado é ainda melhor.<br /><br /><strong>Porquê a escolha da China para estudar? E como surgiu a ideia de fazer um blog para registar a experiência?</strong></p> <p>Entrei na universidade em 2008 e o meu objetivo sempre foi a China. Foi quando ainda estudava no secundário que me comecei a debruçar sobre a China e em 2014, quando estava a começar a minha tese de mestrado, surgiu a oportunidade de vir para a China. O Governo Chinês lançou uma bolsa de estudo para cerca de 9 portugueses e felizmente eu fui um dos contemplados.<br /><br />A ideia do blog surgiu assim que soube que viria para aqui. Como é de conhecimento geral, a maioria das redes sociais que usamos em Portugal estão boqueadas na China, portanto, a melhor solução para partilhar esta aventura com aqueles que se preocupam comigo foi criar um blog no Sapo. Desde que me lembro que a minha homepage é o Sapo e para além disso, enquanto ainda sonhava em vir, fui sempre lendo os blogs do Sapo de portugueses na China. Tenho noção que apareço de paraquedas neste mundo dos blogues e sinceramente nunca esperei ter leitores fora do meu circulo de amigos e familiares. O que acaba por ser gratificante para mim, sinto que dessa maneira tenho a oportunidade de matar a curiosidade de todos aqueles que se interessam por este país e mais importante, tentar de certa forma desmistificar esta cultura que sempre nos pareceu tão díspar.<br /><br /><strong>É muito diferente estudar na China? O grau de exigência é maior? Que conselho darias a quem estiver a pensar repetir os teus passos?</strong><br /><br />Sem dúvida que estudar na China é completamente diferente. Venho com seis anos de universidade em Portugal (quatro anos na Universidade Nova de Lisboa e dois na Universidade de Aveiro) e a exigência com que me deparei aqui na Universidade de Ningbo foi enorme e no início até de difícil adaptação. No entanto, isso deve-se essencialmente pelo fato de estar a estudar mandarim. No que toca às outras áreas, pelo que tenho percebido das várias conversas que tenho com estudantes internacionais (tanto licenciaturas como mestrados), a verdade é que o sistema de ensino português me parece muito mais exigente e coerente. Isto porque estamos a falar de cursos só para estudantes internacionais, se quisermos fazer uma comparação com os cursos para chineses aí a coisa muda totalmente de figura e não tenho dúvidas em afirmar que aqui o nível de exigência é muito maior. Mas obviamente que tudo varia de universidade para universidade.<br /><br />No caso de alguém estar a pensar em vir estudar para a China, a minha opinião é que venham assim que conseguirem. Não percam mais tempo a pensar, venham para a China, e assim que chegarem vão perceber o porquê. O melhor conselho que posso dar é livrarem-se da bagagem de estereótipos que os portugueses têm sobre os chineses e ao chegar não tenham receio de abrir os braços a esta cultura.</p> <p> </p> <p><strong>Se a oportunidade se proporcionar, vês-te a ficar na China a trabalhar?</strong></p> <p>Se me vejo a trabalhar na China é uma das perguntas que mais me têm feito de Portugal. No início estava praticamente fora de questão, mas neste momento, se a oportunidade me surgir não vou pensar duas vezes, ficar já é uma opção mais que válida. Apesar das imensas saudades que já tenho de Portugal.  <br /><br /><strong>Podes partilhar um motivo de entusiasmo recente?</strong></p> <p>Algo que gostava de partilhar com vocês é o olhar que passei a ter de Portugal, apesar de ainda aqui estar há pouco tempo, a minha visão alterou-se completamente. Olhando daqui, o nosso pais é uma desilusão constante, e digo-o com a maior das tristezas. Nem falo dos políticos, o alvo preferencial das conversas de café, falo das pessoas que votam neles. Falamos mil e uma coisas dos chineses e de todos os outros povos, maioria das vezes com desdém e repúdio (como bem tenho visto pela internet fora), mas nunca pensamos em nós mesmos. Ao experienciar o quotidiano destas pessoas fiquei a perceber o que é viver na luta pelo melhorar de um país. Os problemas financeiros, políticos e religiosos (que no caso europeu tanto nos têm abalado) ficam para trás. O foco está bem definido e o caminho é feito com o esforço de todos.<br /><br />Sinto agora que nós ficámos parados no sinal verde, enquanto o resto do mundo lá seguiu quando o sinal mudou. Parece que estamos estagnados na glória da nossa história enquanto todos os outros deixaram a história, procurando glória.</p> <p> </p> <p><strong>Obrigado, João!</strong></p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:213619 Pedro 2015-02-09T09:43:00 Meet the blogger: Magda Pais 2015-02-09T09:44:39Z 2015-02-09T09:44:39Z <p class="sapomedia images"><img style="float: left; padding: 10px 10px;" title="magda.jpg" src="http://2.fotos.web.sapo.io/i/o3706f278/17996325_rvoy0.jpeg" alt="magda.jpg" /></p> <p>A blogger desta semana é a Magda Pais, autora do <a href="http://stoneartportugal.blogs.sapo.pt/">StoneArt Portugal</a>, o blog onde escreve sobre as suas leituras e quotidiano.</p> <p> </p> <p><strong>Porque criou um blog? E o que ganha em ter um?</strong></p> <p>A história do nascimento do meu blog tem alguma piada e é um bocadito longa. Até 2007 eu não escrevia. Quer dizer, escrevia o que todos escrevemos, claro (com muito ênfase para actas de condomínios…) mas não de forma criativa. Em 2007, e enquanto frequentadora e comentadora assídua do Luso-poemas.net, fui sendo desafiada por outros utilizadores para passar a publicar textos meus. Com alguma dificuldade lá cedi e comecei a escrever naquele site. Mais tarde, já em 2008, eu e mais um grupo de amigos estávamos a organizar um evento e todos – excepto eu – tinham um blog. Daí que, numa determinada noite, eles decidiram que eu devia ter blog e foram eles que o criaram, no Blogspot. E até 2010 foi lá publicando algumas coisas. Depois o blog foi violado (no Blogspot) e eu acabei por o mudar para esta plataforma (e aqui um agradecimento público à equipa do SAPO Blogs que, na altura, e com muita paciência e sapiência, me deram todas as explicações e toda a ajuda que uma aselha, como eu, precisou para fazer a importação sem perder textos e/ou comentários).</p> <p>Esta decisão, a da mudança para este bairro, foi das melhores decisões que eu tomei enquanto bloguista.</p> <p>Entretanto fui-me desleixando com o blog e o ano passado, no início do verão, decidi que devia recomeçar a escrever, para mim, e pronto, aqui ando.</p> <p>O que ganho com o blog? Acho que os ganhos são imensos. O carinho e a amizade são, sem dúvida, as duas coisas principais. Reconhecimento pelo que vou escrevinhando, não só pela equipa do SAPO Blogs, com os destaques que vai dando (e que sabem sempre bem) mas também (e, sinceramente e sem desprimor, mais importantes para mim) de outros bloguistas. A possibilidade de discutir, com outros bloguistas, nos comentários, as opiniões diferentes que cada um tem, levando-nos a analisar os temas por outros prismas também é, quando a mim, um ganho (assim o autor a saiba utilizar…)</p> <p><em> </em></p> <p><strong>Porquê "Stone art Portugal"?</strong></p> <p>Quando comecei a frequentar sites de escrita – luso-poemas, escritartes, blogs, etc – tive de escolher um nick/pseudónimo porque não queria identificada. Escolhi, na altura, o nome do poema que mais gosto: Pedra Filosofal. Aos poucos foi desaparecendo a minha necessidade de estar anónima mas o nome manteve-se. Mais tarde a Pedra Filosofal passou a Pedra e depois a Stone. Quando criaram o meu blog não houve dúvida – Stone tinha de lá estar. E como era para publicar as minhas coisas, “a minha arte”, ficou stoneart. Acrescentou-se Portugal porque é o meu país, que eu adoro (apesar de tanta coisa que, por cá, me desilude) e porque stoneart já existia, no Blogspot. Ficou então stoneartportugal.</p> <p>Quando me mudei, de armas e bagagens para o SAPO Blogs fiz questão de manter o nome do blog pelo significado que tem. Por uns tempos, e apesar de ter a foto e de estar perfeitamente identificada, mantive, como nome de autora, Stone. Depois passou a Magda mas o carinho que tenho pela Stone mantêm-se – afinal foi como Stone que comecei a escrever.</p> <p><em> </em></p> <p><strong>Para quem não conhece o seu blog, que post começaria por recomendar?</strong></p> <p>Ui, nunca fui boa a advogar em causa própria. Mas talvez <a href="http://stoneartportugal.blogs.sapo.pt/eu-e-os-meus-16-436-dias-111988">Eu &amp; e os meus 16.436 dias</a> que é um texto autobiográfico publicado no dia em que fiz 45 anos ou <a href="http://stoneartportugal.blogs.sapo.pt/eu-as-leituras-124901">Eu &amp; as leituras</a> que explica em que condições gosto de ler (na prática é em todas, mas adiante). E como sou tão “boa” a advogar em causa própria como a seguir instruções, recomendarei também o post que tem mais favoritos - <a href="http://stoneartportugal.blogs.sapo.pt/eu-os-blogs-os-destaques-129924">Eu &amp; os Blogs &amp; os Destaques</a>.</p> <p> </p> <p><strong>A Magda já bloga desde 2008. Que diferenças sente na forma como blogava no início e bloga hoje?</strong></p> <p>No meu caso pessoal há grandes diferenças nos textos. Inicialmente pedia a alguém um tÍtulo e depois divagava (bem ou mal) sobre esse tema. Hoje em dia divago sobre o que me dá na cabeça – pode ser uma conversa no táxi, uma resposta engraçada dos meus filhos, uma notícia ou a minha opinião sobre um livro que acabei de ler – entre outras coisas.</p> <p>Há também que referir a interacção com quem nos lê. Lá atrás, em 2008, havia muito pouca interacção. Comentava-se “por obrigação”, porque nos comentavam. Os blogs só existiam mesmo nas plataformas onde tinham sido criados e dar a conhecer o nosso blog era uma tarefa hercúlea, porque tínhamos de visitar e comentar outros blogs constantemente. Hoje, com o facebook e o bloglovin (entre outros e passe-se a publicidade) consegue-se uma maior visibilidade, e podemos acompanhar, de mais perto, aqueles blogs que tratam de temas que nos interessam. Claro que visitar e comentar os outros blogs ainda a melhor forma de nos darmos a conhecer mas já não é a única.</p> <p>Confesso que cheguei a pensar que, com o facebook, os blogs acabariam por diminuir mas vejo hoje que se completam. E ainda bem!</p> <p> </p> <p><strong>Um motivo de entusiasmo recente (um livro, uma viagem no horizonte, um novo hobby, etc)?</strong></p> <p>Livros são sempre motivo de entusiasmo para mim. Tenho lá uns 50 à espera de vez para serem lidos e estou entusiasmada, de igual modo, com cada um deles. A leitura é o meu hobby mais antigo e aquele que acho que vai perdurar.</p> <p>Adoro viajar e este ano estava tudo pensado para ir a Edimburgo. Teremos de adiar por um ano, por isso o melhor é nem pensar no assunto.</p> <p>Estou deveras entusiasmada com o novo blog <a href="http://aprenderumacoisanovapordia.blogs.sapo.pt/">Aprender uma coisa nova por dia</a> e por isso deixem-me contar-vos o que é e como nasceu.</p> <p>Em Outubro do ano passado e eu e a <a href="http://sofiamargaridablog.blogs.sapo.pt/">Sofia Margarida</a>, a propósito de eu lhe ensinar qualquer coisa (já não me lembro bem o quê), comentamos que <em>Aprender uma coisa nova por dia, nem sabe o bem que lhe fazia! </em>Daí a nascer uma rubrica, nos nossos dois blogs, com esse título, foi um passinho. Aos poucos mais bloguistas resolveram participar e cada um publicava, no seu blog, a rubrica e os outros colocavam o link na lateral do seu próprio blog. Acabamos por decidir criar um blog que nasceu no final de Janeiro deste ano. Neste momento temos nove bloguistas que, diariamente e à vez, colocam a sua participação na rubrica e mais três bloguistas que participam esporadicamente.</p> <p>Como é muito recente, ainda há arestas a limar, mas estou (aliás, estamos – eu e a Sofia – as mães) muito entusiasmada. Gostava que continuasse a crescer, cada vez com mais participantes, a par, claro, do Stone Art Portugal que quero continuar a alimentar com as minhas opiniões sobre os livros e com coisas do dia-a-dia.</p> <p> </p> <p><strong>Obrigado, Magda!</strong></p> <p> </p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:213265 Pedro 2015-02-03T14:15:00 Novos templates 2015-02-03T14:28:50Z 2015-02-03T14:28:50Z <p class="sapomedia images"><img class="" style="padding: 10px 10px;" title="novostemplates.png" src="http://1.fotos.web.sapo.io/i/obe11995c/17986019_QPNmj.png" alt="novostemplates.png" width="897" height="216" /></p> <p>Os mais atentos já podem ter reparado que há três novos templates para escolher na área de personalização do SAPO Blogs: o <a href="http://blogs.sapo.pt/customize/preview/E15_Vogue.bml">Vogue</a> e o <a href="http://blogs.sapo.pt/customize/preview/E15_Listrado.bml">Listrado</a>, idealizados pela <a href="http://liwl.blogs.sapo.pt">Isa Costa</a>, e o <a href="http://blogs.sapo.pt/customize/preview/E15_Sobrescrito.bml">Sobrescrito</a>. São os primeiros templates que lançamos em 2015 e incluem alguns detalhes novos que podem querer espreitar, a começar por uma das funcionalidades mais pedidas pela comunidade: <strong>excertos automáticos de posts com imagens</strong> (no template Sobrescrito).</p> <p> </p> <p>Estamos curiosos para ver como personalizam estes novos templates! <strong>Deixem o vosso feedback nos comentários!</strong></p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:213157 Pedro 2015-02-02T09:26:00 Meet the blogger: Miguel Alexandre Pereira 2015-02-02T09:26:34Z 2015-02-02T09:26:34Z <p class="sapomedia images"><img style="float: left; padding: 10px 10px;" title="miguel.jpg" src="http://0.fotos.web.sapo.io/i/o29144bef/17980354_kmtNk.jpeg" alt="miguel.jpg" /></p> <p>As nossas cinco perguntas desta semana foram para o Miguel Alexandre Pereira, autor do <a href="http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/">Um Mar de Recordações</a>.</p> <p> </p> <p><strong>Como surgiu a ideia para criar um blog? E que ambição, se alguma, serve o blog?</strong><br />A ideia surgiu numa altura em que queria melhorar a minha escrita, sempre tive o sonho de publicar um livro e para isso precisava de evoluir na componente literária. Assim sendo, embarquei nesta aventura. Quis ter uma espécie de responsabilidade para construir histórias e contos com maior frequência. Além disso, este espaço acabava por ser um teste para ver se as minhas palavras interessavam os outros. Se havia alguém que gostasse daquilo que estava a produzir. No fundo, o Um Mar de Recordações foi ao longo dos anos um tubo de ensaio para a minha entrada no mundo dos livros.<br /> <br /><strong>Porquê o nome <a href="http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/">Um Mar de Recordações</a>?</strong><br />Esse foi o meu primeiro dilema na construção do blogue. Queria um nome chamativo, confesso que andei a volta com ele durante algum tempo. Mas depois surgiu este nome até com alguma naturalidade. O meu desejo é deixar presente alguns dos momentos mais importantes que atravesso e os meus gostos pessoais, daí ter-se tornado um álbum de recordações virtual. Confesso que é um blogue que tenho imenso carinho e tem uma grande importância na minha vida.<br /> <br /><strong>O Miguel é um dos autores mais seguidos no SAPO Blogs. Alguma recomendação para quem está a começar um blog no SAPO?</strong><br />O crescimento acontece com naturalidade, o importante é partilhar algo que realmente gostamos. O primeiro objectivo tem de ser sempre construir um espaço com um conceito cativante. Depois disso é necessária muita paciência, é normal nos primeiros textos não haver muitos comentários. Não desanimar é fundamental, além de um trabalho e de uma dedicação constante. Caso o trabalho apresentado tenha qualidade e seja criativo, as pessoas vão começar a aparecer. Isso vai aumentando com tempo e com a interacção que se vai tendo com a comunidade. <br /> <br /><strong>O ano passado, o Miguel passou a ser um autor publicado em livro. Como foi essa experiência?</strong><br />Foi a concretização de um sonho de infância, ter publicado <a href="http://ummarderecordacoes.blogs.sapo.pt/a-analogia-da-morte-ja-esta-a-venda-128332">A Analogia da Morte</a> foi uma sensação incrível. Os primeiros dias foram uma tempestade de emoções, foi fantástico o apoio que recebi tanto dos meus amigos como da comunidade. Nunca pensei que tivesse tanta ajuda e estou bastante grato a todos. Vocês tem feito este sonho crescer cada vez mais! A verdade é que a publicação deste primeiro livro foi o início de uma jornada que ambicionava bastante e que me deu ainda mais força para continuar a trilhar o caminho que tanto desejo. Espero em breve ter muitas e boas novidades para anunciar…<br /> <br /><strong>Um livro que esteja a pensar ler em 2015?</strong><br />Neste momento estou a tentar acabar de ler todos os livros que tenho na minha estante, confesso que ultimamente o tempo para ler tem sido um pouco escasso. Mas este ano espero que seja um ano de boas leituras. Em 2015, vou estar mais focado nos grandes clássicos da literatura mundial, com especial destaque para Victor Hugo, Fiódor Dostoiévski e Oscar Wilde. Não há nada melhor do que ler um bom livro!</p> <p> </p> <p><strong>Obrigado Miguel!</strong></p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:212829 Pedro 2015-01-26T09:24:00 Meet the blogger: Ângela Santos 2015-01-26T09:29:28Z 2015-01-26T09:29:28Z <p><img class="" style="float: left;padding: 10px 10px;" title="princesasemtiara.jpg" src="http://8.fotos.web.sapo.io/i/od2145e4b/17956100_wlrh4.jpeg" alt="princesasemtiara.jpg" width="150" height="150" />Colocámos cinco perguntas à Ângela Santos, autora do <a href="http://princesasemtiara.blogs.sapo.pt/">Princesa sem Tiara</a>, descrito pela própria como "o cantinho feminino de uma apaixonada por moda".</p> <p> </p> <p><strong>Pode apresentar-se?</strong></p> <p>Bracarense, de 22 anos, tenho o coração na boca e a escrita no coração. A moda é paixão antiga, de uma filha única que desde pequena agarrada às séries, conheceu histórias e mundos como o da Rachel Zoe e, hoje já licenciada em Solicitadoria o mundo profissional é uma azáfama que percorre com gosto e prazer. Acompanhada pela mais recente máxima ou vogue nos regressos a casa, a moda não é um cliché mas um mundo de fascínio. Sentimentalista, humilde e ambiciosa. Por que o mundo tem tanto para oferecer e eu não nasci para estar parada.<br /> <br /><strong> Um post que recomende a alguém que chega pela primeira vez ao "Princesa sem Tiara"?</strong></p> <div>Recomendo o post <a href="http://princesasemtiara.blogs.sapo.pt/elegantemente-acima-do-joelho-80719">Elegantemente, acima do joelho</a>. É dos posts que unifica melhor as minhas duas paixões: a escrita e a moda. Uma moda pessoal numa escrita literária.</div> <p><br /> <strong>Num dos seus posts mais recentes, fala sobre as resoluções para 2015. Pode partilhar connosco uma resolução de 2014 que tenha deixado por cumprir?</strong></p> <p>Uma resolução que estabeleço no início de cada ano e, ano após ano é viajar. Fico rendida, sempre que ligo a televisão ou folheio uma revista e vejo lugares que jamais pensei que existissem e culturas tão diferentes. Temos um país, um mundo à nossa espera. Cabe-nos a nós decidir conhecê-lo.<br /> <br /><strong> Pode recomendar-nos outro blog no SAPO que siga?</strong></p> <p><a href="http://amelhoramigadabarbie.blogs.sapo.pt">A Melhor Amiga da Barbie</a>. Gosto do seu registo pessoal sempre atento às últimas tendências.<br /> <br /><strong> Um motivo de entusiasmo recente (um livro, uma viagem no horizonte, etc)?</strong></p> <p>Uma viagem no horizonte: Paris. Um sonho de menina.</p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:212429 Pedro 2015-01-19T10:17:00 Meet the blogger: Henrique Monteiro 2015-01-19T10:18:46Z 2015-01-19T14:39:31Z <p class="sapomedia images"><img style="float: left; padding: 10px 10px;" title="henrique.jpg" src="http://4.fotos.web.sapo.io/i/o0013de23/17936107_zT13f.jpeg" alt="henrique.jpg" /></p> <p>Esta semana destacamos o Henrique Monteiro, cartoonista do SAPO e autor do <a href="http://henricartoon.blogs.sapo.pt">HenriCartoon</a> desde 2008. Na semana passada, numa <a href="http://www.sapo.pt/arquivo/pt/20150112/">iniciativa dedicada à liberdade de expressão</a>, transformou todas as notícias na homepage do SAPO em cartoons. Rompemos com o nosso  formato de cinco perguntas para questionarmos o Henrique sobre essa experiência e a sua perspetiva como cartoonista dos atentados em Paris no dia 7.</p> <p> </p> <p><strong>Nos teus cartoons, e no <a href="http://henricartoon.blogs.sapo.pt/duelo-desigual-886395">post que publicaste logo no dia 7</a>, ficou claro como te sentiste próximo do que aconteceu em Paris, na redação do Charlie Hebdo. Como cartoonista, sentiste-te visado por aquele ato de terror?</strong></p> <p>Senti-me sobretudo visado como pessoa que não consegue sequer imaginar como seria a sua vida sem a liberdade em todas as suas formas.<br /> <br /> <strong>Conhecias a publicação? Qual é a tua leitura do seu trabalho?</strong> </p> <p>Eles têm um critério editorial que jamais seria o meu. No entanto não discuto e concordo que se deve criticar e satirizar o terrorismo que se justifica em nome de uma divindade. Isso envolve riscos, mas a liberdade envolve riscos. A liberdade de expressão deixaria de existir a partir do momento em que o medo a condicionasse. E isso seria mais devastador do que uma guerra.<br /> <br /><strong>O teu cartoon de dia 7 surge acompanhado de um texto teu, algo que é raro ver no Henricartoon. Foi a primeira vez que sentiste que um cartoon não bastava?</strong></p> <p>Na verdade foi a Ana Gomes que me pediu um desenho sobre o tema acompanhado por um pequeno texto e eu, como sabes, não nego nada à Ana. De resto, e como uma vez me disse o Júlio Isidro aqui há uns anos, expresso-me melhor com o desenho do que com as palavras (ainda hoje estou amuado com ele por causa disso)</p> <p>O texto foi “à flor da pele”. Ainda estava um pouco aturdido pelo desenvolver dos acontecimentos. Quis sobretudo deixar explícito que a liberdade de expressão tem a importância do ar que respiramos.</p> <p> </p> <p class="sapomedia images"><img style="padding: 10px 10px;" src="http://6.fotos.web.sapo.io/i/o5813862e/17916050_f7g1c.png" alt="" /></p> <p><strong>No dia 12, fizeste o trabalho de uma mini-redação de cartoonistas, a desenhar, em tempo real, a atualidade nacional para a homepage do SAPO (<a href="http://www.sapo.pt/arquivo/pt/20150112/">página desse dia em arquivo</a>). Como surgiu a ideia e o que achaste da experiência?</strong></p> <p>A ideia não foi minha, e tenho pena. Foi da equipa do SAPO. A Ana ligou-me com esse desafio e eu aceitei na hora. Confesso que gosto de desenhar sem rede. A primeira ideia que surgia para cada tema era a que ia para o papel (mesa gráfica, no meu caso). Correu tudo muito bem.<br /> <br /> <strong>Quão cansativo foi desenhar assim tantos cartoons no mesmo dia? E que feedback recebeste, em relação à homepage e aos cartoons que foste fazendo ao longo da semana?</strong></p> <p>Cansativo foi, mas eu gosto muito da sensação que se tem a seguir a um longo e árduo dia de trabalho. É assim uma espécie de descanso do guerreiro. Um tipo sente-se um senhor com os frutos de um trabalho bem conseguido.</p> <p>O feedback foi fantástico. Todos gostamos do resultado final, começando pelo próprio SAPO e estendendo-se aos frequentadores do portal. Foi um sucesso que, espero, se repita mais vezes, com novas e desafiadoras ideias.</p> <p> </p> <p><strong>A iniciativa de dia 12, que mensagem achas que passou para os visitantes da homepage do SAPO?</strong></p> <p>Acho que foi um bom contributo para consciencializar as pessoas de que o cartoon, e o humor em geral, é uma parte indispensável na nossa vida e que a graça é um aliado eficaz das coisas mais sérias. Serviu sobretudo para desmontar aquela máxima teimosamente enraizada e errada de que não se brinca com coisa sérias.</p> <p><br /> <strong>Como descobriste a tua vocação cartoonista?</strong></p> <p>Antes do SAPO eu ilustrava textos de jornais. Alguns mais sob a forma de cartoon do que outros. Foi com o Henricartoon que eu me experimentei na caricatura sem textos de outrem, e foi o cabo dos trabalhos. Refugiei-me, logo no primeiro cartoon, na figura do Alberto João Jardim, e com essa figura é difícil falhar. De desenho em desenho fui percebendo que não me dava mal com o formato. Foi no SAPO, portanto, que eu entrei neste maravilhoso mundo de escarnecer da malta toda. </p> <p><br /> <strong>Os teus alvos diários no Henricartoon são sobretudo figuras da atualidade (políticos e desportistas). Costumas receber feedback das pessoas visadas pelos teus cartoons?</strong></p> <p>Não. E não sei se é por não ligarem a cartoons se é por os acharem inofensivos. Em Portugal a caricatura política e desportiva não tem grande peso fraturante. Além do mais eu não costumo ser muito polémico. Tenho este ”defeito” de fazer mais cartoons consensuais sobre temas polémicos do que vice-versa.. Prefiro fazer rir do que fazer pensar. Não sou, portanto, um cartoonista na mais pura conceção da palavra.<br /> <br /> <strong>Tirando a experiência de dia 12, é fácil encontrar todos os dias um tema para caricaturar? A nossa atualidade é especialmente dada a ser transformada em cartoon? </strong></p> <p>A internet inunda-nos de temas todos os dias. Isso, para mim, raramente é um problema. Encontram-se dezenas de temas só a abrir um site de informação. O desafio para um caricaturista, sobretudo numa democracia, é transformar o banal em piada. À falta de temas que atentem verdadeiramente à nossa dignidade (notícias como o massacre no Charlie Hebdo são, felizmente, coisa rara numa sociedade democrática) temos de apostar tudo no político que prevaricou ou no jogador que falhou o penálti.<br /> <br /> <strong>Podes partilhar connosco a tua rotina diária no Henricartoon, desde a ideia para um cartoon até à sua publicação?</strong></p> <p>Não tem nada de romântico. Normalmente faço os desenhos pela madrugada fora. Não tenho rotinas muito vincadas. E como sou um procrastinador nato gosto de preguiçar em “zappings” à internet antes de me debruçar sobre os temas a caricaturar. Agora tudo isso está mais difícil de concretizar já que tenho um pequenito para mimar e isso leva-me uma boa dose de tempo.</p> <p><br /> <strong>Já tiveste algum caso de alguém que tenha ficado desagradado com um dos teus cartoons e tenha pedido para o removeres? Qual é, ou qual seria, a tua resposta numa situação dessas?</strong></p> <p>Tive agora há uns dias um engraçado. Uma senhora indignada enviou um mail à redação do SAPO a insurgir-se contra o “feíssimo rabo de mulher” no tag da Sociedade, no blogue Henricartoon. É fantástico como as pessoas se indignam com coisas que jamais imaginaria poder haver indignação.</p> <p>De resto recebo bastantes comentários para remoção de cartoons, sobretudo os que abordam a religião e a homossexualidade.</p> <p>Geralmente não respondo mas não censuro quem não goste ou ache abusivo um ou outro cartoon meu. A indignação também é um direito anexado à liberdade.</p> <p> </p> <p><strong>Obrigado, Henrique!</strong></p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:212037 Pedro 2015-01-12T14:44:00 Já espreitaram a homepage do SAPO? 2015-01-12T14:47:31Z 2015-01-12T18:48:01Z <p class="sapomedia images"><a class="media-link" title="sapocartoonado1201.png" href="http://www.sapo.pt"><img class="" style="padding: 10px 10px;" title="sapocartoonado1201.png" src="http://0.fotos.web.sapo.io/i/o4f1402e4/17916322_QbIeT.png" alt="sapocartoonado1201.png" width="1000" height="1601" /></a></p> <p class="sapomedia images">Vão <a href="http://www.sapo.pt">espreitar</a>, vale a pena!</p> <p>(fica o screenshot, para quem perder, e um abraço para o <a href="http://henricartoon.blogs.sapo.pt">Henricartoon</a>, hoje a fazer turno especial na homepage)</p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:211761 Pedro 2015-01-12T10:43:00 Meet the blogger: Alexandre Guerra 2015-01-12T10:48:23Z 2015-01-12T10:50:21Z <p class="sapomedia images"><img style="float: left; padding: 10px 10px;" title="alexandre.jpg" src="http://2.fotos.web.sapo.io/i/o8c14380c/17915072_D7Inj.jpeg" alt="alexandre.jpg" /></p> <p>As nossas 5 perguntas desta semana foram para o Alexandre Guerra, autor d'<a href="http://odiplomata.blogs.sapo.pt/">O Diplomata</a> e do <a href="http://piar.blogs.sapo.pt/">Piar</a>.</p> <p> </p> <p><strong>Participa em dois blogs, um sobre política e relações internacionais e o outro, relações públicas. O que mais lhe interessa em cada uma destas áreas?</strong></p> <p>Nas Relações Internacionais é fascinante acompanhar a dinâmica que existe entre os Estados e, cada vez mais, entre estes e organizações internacionais. É também interessante notar que, com o advento da globalização e com o aparecimento das novas formas de comunicação, os povos surgiram com uma voz activa no sistema internacional. Também a Política, seja numa lógica mais clássica – como aquela a que se referia Aristóteles –, seja numa abordagem mais mundana – ou seja as “politics” –, é apaixonante, já que lida com as questões de poder e com modelos de governança das sociedades. São precisamente as questões de poder que muitas vezes se cruzam com a actividade das relações públicas ou da consultoria de comunicação e que, cada vez mais, serve de inspiração para filmes de Hollywood ou para inúmeras séries. Naturalmente, que há uma outra componente muito interessante das relações públicas, que se prende com a comunicação institucional das empresas e organizações.</p> <p> </p> <p><strong>Que facto ou personalidade destaca positivamente em Portugal na área da comunicação em 2014?</strong></p> <p>A capacidade de resiliência e de adaptação das empresas que apostam e actuam no sector da comunicação, seja imprensa, agências, departamentos de relações públicas, anunciantes, entre outros. Penso que em 2014 se assistiu a uma estabilização da situação e que o pior, talvez, já tenha ficado para trás, depois de terem sido feitos, nos anos anteriores, ajustes muito duros em todos os “players” do sector… sem excepção.</p> <p><strong> </strong></p> <p><strong>2015 é ano de eleições. Que sugestão daria às campanhas dos vários partidos para mobilizarem os eleitores?</strong></p> <p>Nas actuais estruturas partidárias é necessária uma injecção de inspiração e de talento que as dote da capacidade para inovar no modelo da campanha para as próximas eleições legislativas. Existe um paradigma obsoleto e estático de comunicação política em Portugal que continua a fazer escola (basta ver os congressos partidários deste ano, os discursos políticos, os tempos de antena, e por diante). É certo que nas últimas eleições europeias já se viram algumas melhorias, mas estamos a falar de questões instrumentais e tão óbvias que já não podiam ser ignoradas. A verdade é que enquanto os líderes partidários nacionais não interiorizarem e sentirem uma nova forma de estar na política (o “novo político”), de pouco servirão os conselhos e as sugestões dos melhores profissionais da comunicação política. Para se mobilizar o eleitorado, primeiro é preciso conhecê-lo. Assim, talvez fosse útil que os líderes partidários, antes de partirem para uma batalha eleitoral, reflectissem sobre aquilo que os separa de um adolescente de 18 anos, de um recém-licenciado de 23, de um jovem empreendedor de 32, de um chefe de família de 40, de um funcionário público de 45, de um desempregado de 55, de um reformado com 70…</p> <p><strong> </strong></p> <p><strong>A nível pessoal, tem alguma resolução para o novo ano?</strong></p> <p>Há sempre coisas que ficaram por fazer e outras novas que se querem fazer… Pelo meio, espero poder escrever mais assiduamente n’<a href="http://odiplomata.blogs.sapo.pt">O Diplomata</a> e contribuir com mais regularidade no esforço colectivo para o <a href="http://piar.blogs.sapo.pt">PiaR</a>.</p> <p><strong> </strong></p> <p><strong>Pode recomendar outro blog que acompanhe no SAPO?</strong></p> <p>Embora não precise de apresentações nem de recomendações, o <a href="http://delitodeopiniao.blogs.sapo.pt">Delito de Opinião</a> é um dos blogues colectivos que acompanho, não apenas pela qualidade da sua escrita e ideias, mas pela diversidade dos temas.</p> <p> </p> <p><strong>Obrigado, Alexandre!</strong></p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:211664 Pedro 2015-01-05T11:46:00 Meet the blogger: Moira 2015-01-05T11:53:13Z 2015-01-05T11:55:40Z <p><img class="" style="float: left; padding: 10px 10px;" title="nela.png" src="http://1.fotos.web.sapo.io/i/o181189e4/17896747_5csjw.png" alt="nela.png" width="150" height="150" />Esta semana entrevistámos a Moira, autora de um dos blogs de culinária mais conhecidos no SAPO Blogs, o <a href="http://tertuliadesabores.blogs.sapo.pt/">Tertúlia de Sabores</a>.</p> <p> </p> <p><strong>O que a fez começar um blog de culinária?</strong><br /> Quando comecei o blog a ideia foi reunir as receitas que faço cá por casa num espaço que estivesse acessível, prioritariamente para mim, mas também para partilhar com a família e os amigos.<br />  <br /> <strong>Nota-se a dedicação que coloca na apresentação das receitas ao nível da fotografia. O interesse pela fotografia surgiu associado ao blog? E que dicas essenciais dá a quem quer fotografar os seus feitos culinários da mesma forma?</strong><br /> Eu já gostava de fotografia muito antes de pensar em ter um blog, mas fotografar comida é uma coisa muito específica, não é o mesmo que fotografar uma paisagem ou um monumento. Tal como para fotografar pessoas é preciso ter um jeito especial, para fotografar comida é necessário captar a essência do prato. Não sou especialista no assunto, nem pretendo ser, mas uma má fotografia pode arruinar um prato excelente, por isso tento fazer o melhor possível para apresentar algo que seja apetecível. Eu costumo dizer em jeito de brincadeira que fotografo com o coração, se é que isso é possível.<br /> Sei que ainda tenho muito para aprender, e não serei a pessoa indicada para dar conselhos sobre o assunto. Mas baseando-me na minha aprendizagem, para fotografar comida não serve de nada ter pratos bonitos ou uma máquina fotográfica toda “xpto” se não houver boa luz, de preferência natural, nem sentido de estética. O meu conselho é que observem o trabalho de “food bloggers” por esse mundo fora, há blogues de culinária com fotografias extraordinariamente bonitas.<br /> Estejam atentos aos pormenores, preparem o espaço onde vão fotografar com antecedência, para depois não andarem numa correria e tentem fotografar o prato de diversas perspectivas para depois poderem escolher a melhor. Ah! E o mais importante, cuidado com as sombras. Um pormenor aqui, outro ali, um pouco do nosso cunho pessoal e teremos uma boa fotografia. O tempo fará o resto, se forem a qualquer blog de culinária e virem as primeiras fotos e depois as mais recentes, vão perceber que todos evoluímos com a prática.<br />  <br /><strong> Pode partilhar connosco a sua tertúlia mais comentada de sempre?</strong><br /> A receita mais comentada de sempre, que por acaso não é da minha autoria, é o <a href="http://tertuliadesabores.blogs.sapo.pt/35431.html">Bolo de Maçã</a> e o post mais visitado é <a href="http://tertuliadesabores.blogs.sapo.pt/74019.html">Uma Sapateira duas receitas</a> que bate records de visitas por altura do fim do ano.<br />  <br /><strong> Fast food: sim, às vezes, ou nunca?</strong><br /> Não tenho nada contra o Fast Food, mesmo quando falamos dos hambúrgueres mais famosos do mundo, que também como quando o rei faz anos, prefiro o fast food made in Portugal, a bela bifana no pão, o prego ou o frango de churrasco. Quando não tenho paciência para cozinhar, sim isso também me acontece (risos), passo pela churrascaria do bairro e levo frango assado para casa, troco as batatas fritas por uma salada de tomate que se faz em 2 minutos e temos uma refeição rápida e minimamente saudável.<br /> O Nigel Slater tem um livro, “Real Fast Food”, que consulto com frequência, cheio de receitas fáceis e minimamente saudáveis para quem não tem tempo para nada, recomendo. Só é pena que não esteja traduzido para português.<br /> Um prato de massa demora pouco mais de 10 minutos a fazer, umas tostas de ovos mexidos com ervas aromáticas e tomate, ou uma omeleta de cogumelos igualmente, uma salada de pêra com alface, rúcula e requeijão faz-se num piscar de olhos, isto é fast food caseiro e está bem longe do conceito negativo da expressão<br /> Na realidade o que importa é ter consciência que qualquer refeição demasiado calórica, com muitos açúcares ou muita gordura quando consumida com frequência ou em excesso faz mal à saúde.</p> <p><strong>Um prato cozinhado por outra pessoa que a tenha entusiasmado recentemente?</strong><br /> Pode ser uma sobremesa? (risos) Sem pestanejar a resposta é “Avelã ao cubo” (uma bola de gelado de avelã, espuma de avelã, pedaços de avelã e flor de sal) uma sobremesa fantástica do Chef Avillez.</p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:211409 Pedro 2014-12-31T08:35:00 Uma amostra de 2014 no SAPO Blogs 2014-12-31T08:50:12Z 2014-12-31T08:50:41Z <p>Foi difícil escolher, entre os mais de <a href="http://destaques.blogs.sapo.pt">3400 posts</a> que destacámos em 2014, os mais marcantes do ano, mas esta é só uma seleção possível. A nossa amostra de 2014 tem um pouco de tudo: posts que nos fizeram rir (o senhor com dezanove dedos que a Dora ficou a conhecer ou a rubrica ainda em atualização "Sou a blogger menos in do pedaço" da Maria das Palavras), posts que nos chocaram (quem não se lembra da "pior patroa do mundo"?) e outros que, pelo exemplo, nos inspiraram a ir mais longe, como os 53 quilómetros do Luís Moura ou os atos espontâneos de generosidade da Catarina d'Oliveira nas ruas de Lisboa. Houve a história de alguém que se deixou contagiar pela boa disposição de uma operadora de caixa e ainda a recordação de quem nunca esqueceu um encontro inesperado com o Eusébio. Tudo isto, a ler, ou revisitar, na lista abaixo.<br /><br />Obrigado por terem partilhado connosco as vossas histórias, ideias, altos e baixos de 2014. Mal podemos esperar para ler como vai ser o vosso 2015, de preferência, feito de mais altos e aventuras :)<br /><br /><a href="http://day-dreamer.blogs.sapo.pt/o-meu-pai-eu-e-um-filme-118951">O meu pai, eu e um filme</a><br />"Foi no final do mês passado. Procurava saber o que havia de novo a acontecer na cidade de Lisboa. Bati com os olhos naquele nome de que ouço falar há tantos anos. Ingmar Bergman."<br /><br /><a href="http://happinessonlyrealwhenshared.pt/as-botas-as-motas-e-o-humberto-663">As botas, as motas e o Humberto</a><br />"Hoje saí à rua com a ideia de comprar umas botas, daquelas confortáveis, que os personagens dos filmes de aventura selvagem têm sempre calçadas, talvez na esperança de eu também ter direito à minha aventura exótica..."<br /><br /><a href="http://dadinhosousa.blogs.sapo.pt/15138.html">Eusébio, um ser de outra dimensão</a><br />"Já foi tudo dito sobre Eusébio. Conheci a "Pantera Negra", quando tinha 20 anos, num bar às tantas da manhã."<br /><br /><a href="http://obmf.blogs.sapo.pt/os-sete-golos-mortais-20218">Os Sete Golos Mortais</a><br />"Orgulho: O primeiro golo, que começou o afundanço de uma equipa cujo país é o orgulhoso anfitrião do evento desportivo."<br /><br /><a href="http://cacapromocoes.blogs.sapo.pt/atender-um-cliente-a-cantar-porque-nao-2513601">Atender um Cliente a cantar. Porque não? Depois dá nisto. </a><br />"O momento estranho. Estranho mas no bom sentido, pois a menina bem disposta entre passar cartão Galp, ouvir os Bip do cartão Continente e talão, preferiu cantar."<br /><br /><a href="http://bokeh.blogs.sapo.pt/leiria-e-arredores-9951">leiria e arredores</a><br />"hoje ao fim do dia na senhora do monte, o evereste aqui do sitio!"<br /><br /><a href="http://oladolunar.blogs.sapo.pt/fernando-tordo-has-left-the-building-657">Fernando Tordo has left the building...</a><br />" Sobre a emigração de Fernando Tordo: temos pena. Será que temos?"<br /><br /><a href="http://daspalavras.blogs.sapo.pt/tag/a+blogger+menos+in+do+peda%C3%A7o">Sou a blogger menos in do pedaço</a><br />Uma das rubricas mais acompanhadas em 2014 :)<br /><br /><a href="http://bataebatom.blogs.sapo.pt/dezanove-dedos-e-um-conto-7859">Dezanove dedos e um co(n)to</a><br />"Conheci um senhor idoso, daqueles a quem a vida trouxe autoconfiança e sabedoria."<br /><br /><a href="http://tugaemlondres.blogs.sapo.pt/a-patroa-do-inferno-217187">Talvez a pior patroa do mundo</a><br />"Esta é a minha última semana no meu emprego actual."<br /><br /><a href="http://edicoespqp.blogs.sapo.pt/a-ditadura-da-imagem-jessica-athayde-3191568">A ditadura da imagem - Jessica Athayde e Renée Zellweger</a><br />"A maior parte das raparigas/mulheres, apesar de não ser uma estrela constantemente perscrutada pelos media, tem a sensação de estar sob os holofotes"<br /><br /><a href="http://corrernacidade.blogs.sapo.pt/race-report-serra-darga-1a-parte-390040">Race report Serra D'Arga (1ª parte)</a><br />"Vou começar o artigo pelo fim. Cheguei a Dem no final dos 53Km cheio de energia mas com o corpo completamente massacrado das violentas subidas e descidas em pedra dura."<br /><br /><a href="http://naruadosmeussentidos.blogs.sapo.pt/quando-uma-ida-ao-lixo-e-um-murro-no-22839">Quando uma ida ao lixo é um murro no estômago</a><br />"Hoje, como sempre fui pôr o lixo no caixote, e levantei como sempre a tampa por trás e atirei o saco como faço tantas e tantas vezes só pela preguiça de ir dar a volta."<br /><br /><a href="http://girls-go.blogs.sapo.pt/838155.html">...</a><br />"No dia em que o cancro vai embora, tu ficas aliviada. Telefonas a toda a gente, anuncias que está tudo bem, enches o peito de ar e gritas (com ou sem som) 'Fuck cancer!'. "</p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:211149 Pedro 2014-12-29T10:20:00 Meet the blogger: Isa Costa 2014-12-26T14:19:38Z 2014-12-26T14:19:38Z <p> </p> <p><img class="" style="float: left;padding: 10px 10px;" title="isa2.jpg" src="http://5.fotos.web.sapo.io/i/o1d14d323/17868373_JZBJi.jpeg" alt="isa2.jpg" width="150" height="150" />Esta semana colocámos 5 perguntas à Isa Costa, designer do SAPO e autora do <a href="http://liwl.blogs.sapo.pt">lost in wonderland</a>.</p> <p> </p> <p><strong>Como descobriste o mundo dos blogs?</strong></p> <p>Foi através de um colega de curso que se sentava à minha frente nas aulas técnicas. Estava constantemente a actualizar uma página e às tantas perguntei-lhe o que vinha a ser aquilo e comecei a investigar o assunto. Daí até descobrir a pequena mas activa comunidade portuguesa de bloggers foi um passo e não descansei enquanto não meti a colher também.</p> <p> </p> <p><strong>O <a href="http://liwl.blogs.sapo.pt">liwl</a> é o sítio onde vais partilhando as tuas aventuras no mundo real. Se tivesses de destacar uma experiência (viagem, momento, etc) que tenhas partilhado no blog, qual seria?</strong></p> <p>São tantas que fico sempre sem saber como responder a essa pergunta. No departamento das viagens, não me consigo decidir entre a semana em que vagabundeei ali prós lados de Odeceixe, ou as incursões pelo parque da Peneda-Gerês. Dos momentos, se a “fuga” do javali na Arrábida ou a lama no festival de verão em Zurique. Para além disso, quase todo o post dedicado ao campismo é memorável. É uma tarefa impossível, decidir apenas uma.<br /><br /><strong>O que ganhas em manter um blog?</strong><br />Ganho um registo absolutamente fantástico que de outra forma não teria mantido, daquela que considero a década mais importante da minha vida. São muitos anos de memórias preciosas que tenho ali guardadas, e isso tem um valor inestimável. Debati-me várias vezes sobre se devia pô-lo a render, mas a ideia ficava sempre posta de lado por não querer subvertê-lo e afastá-lo do seu objectivo primordial, ser um blog cem por cento “eu”.<br /><br /><strong>O novo design do <a href="http://blogs.sapo.pt">SAPO Blogs</a>, lançado em Outubro, é da tua autoria.</strong><br /><strong>Qual foi o maior desafio nesse trabalho? Recebeste muito feedback no teu blog pessoal?</strong><br />O maior desafio foi tentar minimizar os efeitos da disrupção entre a versão anterior e a nova.. manter de alguma forma os padrões de utilização a que os utilizadores já estavam habituados. Não sou muito a favor de mudanças tão drásticas porque sinto que se está a puxar o tapete, mas quando se passa muito tempo sem fazer alterações a um site, à velocidade que as coisas mudam na internet, é inevitável.<br /><br />Recebi algum. Felizmente no meu blog não apareceu nenhum utilizador irado a rogar-me pragas até à 5ª geração, que era o que mais temia he he<br /><br /><strong>Uma coisa (filme, viagem, receita, etc) que te tenha entusiasmado recentemente?</strong><br />Verdade seja dita que as oportunidades para viajar têm sido escassas e tenho passado mais tempo em restaurantes e food courts que na minha cozinha. Tenho visto muitos filmes (talvez até demasiados) e adquirido tecnologia nova, mas falta-me pachorra para escrever sobre esses assuntos. Acontece que fui subitamente atingida por um blast from the past ando bastante entusiasmada a re-descobrir a minha paixão pelos ventos da terra do sol nascente. Dizem que as modas são cíclicas e é verdade!</p> <p> </p> <p><strong>Obrigado Isa!</strong></p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:210808 Pedro 2014-12-22T10:24:00 Meet the blogger: Teresa Serrano 2014-12-19T11:32:06Z 2014-12-19T11:32:06Z <p class="sapomedia images"><img style="float: left; padding: 10px 10px;" title="teresaserrano.jpg" src="http://c026204.cdn.sapo.io/1/c026204/cld-file/1426522730/6d77c9965e17b15/546f28caa60a2479dc60c78a741941b8/p123/2014/teresaserrano.jpg" alt="teresaserrano.jpg" /></p> <p>Esta semana fomos conhecer a Teresa, designer e autora do <a href="http://cronicaswebmenosdoispontozero.blogs.sapo.pt/">Crónicas Web Menos Dois ponto Zero</a>. Estas foram as cinco questões que lhe colocámos.</p> <p> </p> <p><strong>Pode apresentar-se?</strong><br />Posso sim. Sou a Teresa, sou designer, trabalho numa agência de comunicação e gosto muito de ilustrar - o que faço como hobby. Vivo em Lisboa com o meu marido e os meus dois gatos. Gosto do Harry Potter, de pizza e da Jane Birkin.<br /><br /><strong>Como surgiu o interesse pela ilustração?</strong><br />Tirei o curso de design nas Belas-Artes, portanto, a ligação que tenho com as artes plásticas é muito forte. O desenho como forma de expressão faz todo o sentido para mim - mesmo que essa representação seja a de uma situação banal do dia a dia ou cómica (tal como acontece nas ilustrações do I Saw Jesus in a Toast).<br /><br /><strong>Qual é o processo das suas ilustrações, da ideia à partilha?</strong><br />Tenho várias formas de pensar as minhas ilustrações, dependendo do briefing de cada uma.<br />Para o I Saw Jesus in a Toast, o ponto de partida é sempre a sátira religiosa, enquanto que nas ilustrações das crónicas optei sempre por ensaios tipográficos dos títulos dos textos. No entanto, por vezes desenvolvo trabalhos a partir de sketches que já tinha desenhado anteriormente em cadernos ou a partir de fotos que tenha tirado e guardado por algum motivo que me despertou a atenção.<br /><br /><strong>Porquê o SAPO para alojar o Crónicas 2.0?</strong><br />Foi uma decisão estratégica. Achei que seria uma forma mais rápida e simples de chegar ao público português, visto que o sapo está a dinamizar bastante esta área. Para além disso, a plataforma oferece templates bastante acessíveis e ajustáveis às necessidades do utilizador.<br /><br /><strong>A melhor ideia que teve em 2014?</strong><br />Casar! Aliás a ideia não foi minha mas compartilhei-a plenamente. Não é uma ideia original mas posso garantir que é uma ideia muito feliz. E quando há ideias felizes o sucesso é garantido.</p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:210632 Pedro 2014-12-16T16:03:00 Leituras 2.0 2014-12-16T16:14:01Z 2014-12-16T16:14:01Z <p class="sapomedia images"><img class="" style="padding: 10px 10px;" title="leituras20.png" src="http://7.fotos.web.sapo.io/i/o8314daa3/17840788_rLyh7.png" alt="leituras20.png" width="900" height="541" /></p> <p>Se o <strong>SAPO Blogs</strong> é uma comunidade de blogs, a área de Leituras é o seu ponto de encontro. Esta página permite a todos os nossos autores seguirem, num único sítio, os seus blogs SAPO preferidos. Lançada em Outubro, já é uma das áreas mais consultadas pela comunidade, e hoje fizemos-lhe algumas alterações de que vos queremos falar.<br /><br /><strong>Seguir autores</strong><br /><br />Ouvimos e lemos o vosso feedback em relação à área de Leituras e uma das questões mais referidas era a possibilidade de seguir autores. Nós concordamos e a partir de hoje a área de Leituras passa a permitir subscrever blogs por autor - ao subscreverem um autor, passam a seguir todos os seus blogs (já criados e futuros), de uma só vez. <br /><br /><strong>Um filtro</strong></p> <p class="sapomedia images" style="text-align: center;"><img style="padding: 10px 10px;" title="deixardeverposts.png" src="http://4.fotos.web.sapo.io/i/B62144940/17836737_fvi0Y.png" alt="deixardeverposts.png" width="328" height="143" /></p> <p> Para quem quiser ler os posts de apenas um ou alguns blogs de um autor, agora também é possível esconder as atualizações de um blog (sem com isso deixar de seguir o respetivo autor). Ou seja, podem continuar a seguir qualquer autor, sem com isso terem de ver todos os seus posts na área de Leituras.<br /><br /><strong>Mais novidades:</strong><br />- Notificações de novos subscritores: agora, quando alguém passa a seguir os vossos posts, também ficam a sabê-lo na vossa área de gestão.<br />- Contagem de subscritores na área de gestão, na página <strong>Subscrições</strong>: para não haver dúvidas de quantos autores seguimos e nos seguem.<br />- Blogs com domínios próprios: podem subscrever qualquer blog SAPO, independentemente do endereço que usarem (exemplo: <a href="http://henricartoon.blogs.sapo.pt">http://henricartoon.blogs.sapo.pt</a> ou <a href="http://henricartoon.pt">http://henricartoon.pt</a>).</p> <p> </p> <p>Temos mais informações sobre estas alterações no nosso <a href="http://ajuda.blogs.sapo.pt/leituras-16469">post de ajuda</a> sobre as Leituras.</p> <p>Como sempre, contamos com o vosso feedback nos nossos comentários.</p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:210257 Pedro 2014-12-15T11:17:00 Os bloggers do SAPO escolhem o melhor de 2014 2014-12-15T11:23:42Z 2014-12-15T11:24:04Z <p class="sapomedia images"><a class="media-link" title="omelhorde2014.jpg" href="http://blogs.sapo.pt/especial/2014"><img class="" style="padding: 10px 10px;" title="omelhorde2014.jpg" src="http://3.fotos.web.sapo.io/i/od2113a55/17835291_Iqcfr.jpeg" alt="omelhorde2014.jpg" width="1423" height="766" /></a></p> <p class="sapomedia images">Queremos destacar as coisas boas de 2014 e começámos por desafiar alguns autores de blogs alojados no SAPO a escolherem as suas coisas preferidas do ano que passou. Podem espreitar as suas escolhas, e saber como partilhar as vossas, na página <a href="http://blogs.sapo.pt/especial/2014">O melhor de 2014</a>.</p> <p> </p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:209926 Pedro 2014-12-15T10:15:00 Meet the blogger: Gonçalo Sá 2014-12-12T16:12:12Z 2014-12-12T16:12:12Z <p class="sapomedia images"><img style="float: left; padding: 10px 10px;" title="goncalosa.jpg" src="http://6.fotos.web.sapo.io/i/ob614b6fd/17828526_4zslf.jpeg" alt="goncalosa.jpg" /></p> <p>Esta semana colocámos cinco questões ao Gonçalo Sá, autor do <a href="http://gonn1000.blogs.sapo.pt">Gonn1000</a>, um blog sobre cinema e música.</p> <p> </p> <p><strong>O que te levou a criar um blog sobre música e cinema?</strong></p> <p>Eram das áreas de que mais gostava e na altura (há dez anos, pouco depois de ter terminado a faculdade) fiz algumas reportagens sobre concertos e estreias de filmes que reforçaram mais esse interesse. Quando criei o blog não planeei abordar só esses temas, mas foram os que acabaram por ir ganhando mais espaço, embora também tenham passado por lá outros (televisão, livros ou alguns posts mais pessoais ao início). E como a nível profissional também fui tendo contacto regular com esses universos, a aproximação tornou-se ainda maior. A ideia é basicamente falar de coisas que me interessam, algumas sem grande visibilidade noutros meios por cá. Se o entusiasmo passar para quem lê, melhor. </p> <p><strong> </strong></p> <p><strong>Já tiveste resposta de algum artista/realizador visado pelas tuas críticas?</strong></p> <p>Quando as (na altura os) Cansei de Ser Sexy actuaram cá pela pela primeira vez, há uns anos, alguém comentou e assinou com o nome da vocalista (Lovefoxxx) mais de uma vez nos posts sobre o concerto e a banda. Não sei se era mesmo ela - o comentário não estava associado a nenhum registo online -, mas pareceu-me plausível. Assim de repente, é o único caso de que me lembro, não contando com a partilha de posts nas contas de Facebook de uma ou outra banda portuguesa (mais recentemente, na dos Smix Smox Smux).</p> <p> </p> <p><strong>A avaliar pelo blog, és um ávido consumidor de música. Tens algum método para descobrir novos sons e não perder de vista os teus artistas preferidos?</strong></p> <p>Não tenho propriamente um método deliberado, acaba por ser uma mistura das sugestões de blogs e outras plataformas online (recomendações de amigos ou artistas nas redes sociais), alguma imprensa especializada e propostas das editoras (não tanto para o blog, mas para o <a href="http://musica.sapo.pt">SAPO Música</a>, do qual sou editor). Há uns anos, a rádio e as lojas de discos também ajudavam, mas agora a internet é quase sempre a porta de entrada.</p> <p> </p> <p><strong>Todos os anos costumas fazer um <em>best of</em> do ano que passou. Que filme e disco de 2014 se destacam na memória?</strong></p> <p>Escolher um filme é fácil: "Boyhood: Momentos de Uma Vida", do Richard Linklater, que por acaso até foi o último que vi e veio compensar, quase no fim, um ano de cinema pouco memorável (embora, como sempre, também não tenha conseguido ver alguns filmes que me interessavam). Nos discos não consigo destacar só um, por isso a escolha anda entre os da Neneh Cherry, Kelis, EMA, Trust ou Bis... e ultimamente os dos Röyksopp, Stars e, da música nacional, o do Nuno Prata.</p> <p> </p> <p><strong>Já tens algum concerto de 2015 apontado como obrigatório no calendário?</strong></p> <p>Nem por isso, mas também ainda não há assim tantos nomes confirmados. Mas tenho uns quantos na wishlist: Metric, The Presets ou Neneh Cherry, só para destacar alguns que nunca vieram cá. E os GusGus, por exemplo, já podiam regressar...</p> <p> </p> <p><strong>Obrigado Gonçalo!</strong></p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:209731 Pedro 2014-12-09T09:30:00 Meet the blogger: Lina Santos 2014-12-09T09:41:52Z 2014-12-09T09:41:52Z <p class="sapomedia images"><img class="" style="float: left;padding: 10px 10px;" title="lina.jpg" src="http://4.fotos.web.sapo.io/i/o1613634b/17817819_5jkwS.jpeg" alt="lina.jpg" width="150" height="150" /></p> <p>As nossas 5 perguntas desta semana foram para a Lina, autora do <a href="http://quemsaiaosseus.blogs.sapo.pt/">Quem sai aos seus</a>, onde partilha o seu dia-a-dia como mãe e jornalista.</p> <p> </p> <p><strong>Para quem ainda não a conhece a Lina do Quem sai aos seus, podes apresentar-te?</strong><br />Lina Santos, 38 anos, mãe da Madalena, da Teresa e da Francisca (uma escadinha de 6, 4 e 2 anos), jornalista, sempre com vontade de registar o que as crianças fazem - ao vosso dispor.<br /><br /><strong>Para quem escreves ao blogar?</strong><br />As minhas filhas são as destinatárias. Sempre gostei das histórias que o meu pai contava, e conta, sobre o seu passado, tal como sempre tive curiosidade em saber mais sobre o que estava escrito no meu Livro do Bebé. O blogue funciona como estes álbuns, em formato gigante. É uma tarefa hercúlea e inglória, admito. Nunca conseguimos registar tudo. A mim, por exemplo, acontece-me ser nos dias mais importantes, como os aniversários, que menos tempo tenho para escrever. Inicialmente, isso deixava-me um bocado frustrada. Entretanto, deixei de me preocupar. Para as minhas filhas, as coisas que lhes escrevo serão tão importantes como as que ficam por dizer. Acho que vão perceber e espero gostem e que possam ir ao arquivo para saberem mais sobre elas. Este é, sempre foi, o propósito do <a href="http://quemsaiaosseus.blogs.sapo.pt">Quem Sai aos Seus</a>, que chegou a ter um antecessor, o blogue o Madalena, que substituímos quando nasceu a Teresa, a minha segunda filha. Escrevo há sete anos e com o passar do tempo foram chegando mais leitores do que a família e os amigos. Saber que existe alguém do outro lado diariamente, que não conheço, dá muito alento e, como já escrevi várias vezes no blogue, mantém-me com vontade de continuar. Caso contrário, deixaria algumas entradas em branco. Como tantas vezes acontece com os Livros do Bebé.<br />A novidade mais recente é ter uma filha no primeiro ano que tem ido ao blogue tentar ler o que lá está e já deu duas sugestões de posts. A Teresa tem feito fotografias. E a Francisca, com os seus dois anos, participa como fonte de material interessante (é o que vou escrever já a seguir, por acaso).<br /><br /><strong>Se os teus posts saíssem numa revista, qual seria?</strong><br />Nunca tinha pensado nisso, e nem tenho uma boa resposta. Tendo em conta que escrevo para o futuro, o mais acertado seria aparecer, dissecado e criticado, numa revista de história daqui a 100 anos mas não penso largar o SAPO para abraçar outras plataformas. Ficam avisados!<br /><br /><strong>Um motivo de entusiasmo recente (uma peça de teatro, viagem no horizonte, etc)?</strong><br />Vários motivos de entusiasmo: ver palácios em Lisboa, a exposição Tesouros Partilhados na Gulbenkian, o Natal que se aproxima -- brinquedos, concertos, Cirque du Soleil, refeições com amigos e família, a festa da escola -- e correr.  Ultimamente ando doida com corridas. Não se sabe quanto tempo é que esta "loucura" vai durar, portanto é melhor aproveitar. E escrever, se possível todos os dias.<br /><br /><strong>Podes recomendar-nos alguns blogs SAPO que gostes de acompanhar?</strong><br />Esta é a pergunta mais fácil de responder: <a href="http://agatachristie.blogs.sapo.pt/">A Gata Christie</a>, <a href="http://petit-secrets.blogs.sapo.pt/">Caixa dos Segredos</a> e <a href="http://princesaestrelas.blogs.sapo.pt/">Princesa das Estrelas</a>. Rio-me, choro, divirto-me com o que escrevem as suas autoras. Entre os dispensam apresentações, sigo A Pipoca Mais Doce e gosto imenso do <a href="http://edeuscriouamulher.blogs.sapo.pt/">E Deus Criou a Mulher</a>. Não sou o público-alvo mas acho muito bonito.</p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:209630 Pedro 2014-12-01T10:15:00 Meet the blogger: Fernando Lopes 2014-11-28T14:17:57Z 2014-11-28T14:17:57Z <p class="sapomedia images"><img style="float: left; padding: 10px 10px;" title="diario_do_purgatorio.png" src="http://3.fotos.web.sapo.io/i/o771185ee/17780931_d1lyP.png" alt="diario_do_purgatorio.png" /></p> <p>O Fernando Lopes é o autor do <a href="http://diariodopurgatorio.blogs.sapo.pt/">Diário do Purgatório</a>, o blog onde expia as suas opiniões e impressões, com o Porto como pano de fundo. O Fernando aceitou responder a 5 questões nossas.</p> <p> </p> <p><strong>Pode apresentar-se?</strong><br /><br />51 anos, um boneco nas mãos do destino. Desisti do curso de Filosofia a duas cadeiras do fim, sonhei ser radialista, fui informático, acabei bancário. Boémio inveterado, blogger sofrível, pai sempre.<br /><br /><strong>O que o fez começar um blog? E porquê o nome <a href="http://diariodopurgatorio.blogs.sapo.pt">Diário do Purgatório</a>?</strong><br /><br />Como em tudo que me cerca, o acaso jogou um papel determinante. Tinha amigos jornalistas e poetas que tinham os seus blogues. Numa festa, já abraçado por Baco, a minha amiga Xana sugeriu-me que escrevesse. Como tenho em elevada consideração a sageza do sexo feminino, obedeci. O nome surgiu porque a vida é em si mesmo um local de expiação de pecados, presentes, passados e futuros, e porque, apaixonado pela diarística, queria penitenciar-me amiúde.<br /><br /><strong>Pode partilhar connosco o post mais comentado até hoje do Diário do Purgatório?</strong><br /><br /><a href="http://diariodopurgatorio.blogs.sapo.pt/385591.html">Dez coisas para fazer em 2014</a>. No início do ano faço uma série de promessas que à partida não tenho a intenção nem sou capaz de cumprir. Fi-lo como um exercício de autocrítica, descobri que não estou só nesta tradição disparatada de nos tentarmos enganar.<br /><br /><strong>As ruas do Porto servem de pretexto para vários posts. Qual é o seu aspeto preferido da cidade?</strong><br /><br />O Porto veste-me a alma. É uma cidade que não passa de um conjunto de pequenas aldeias. Todos nos conhecemos, os sítios emblemáticos não são assim tantos, é fácil encontrar ou encontrar-se nesta cidade. É um local cinzento com imensa dignidade. Nele coexistem um lado operário e burguês, modernidade e tradição, de um modo muito peculiar. Se o Porto fosse gente seria uma velha senhora aristocrata, que mesmo perdido o brilho da juventude, mantém viva a chama e o charme. Se fosse cor, seria um cinzento luminoso, «cor de pele de sardinha», como bem disse a minha filha. Encantam-me os becos e vielas, as vendedeiras do Bolhão que chamam, gritando, «ó mor!», a tortuosidade medieva da Sé e Ribeira, a cidade que vive um caso de amor com o rio.<br /><br /><strong>Recomende-nos outro blog no SAPO.</strong><br /><br />É difícil porque o SAPO tem muito bons blogues. Recomendo dois: <a href="http://agaffeeasavenidas.blogs.sapo.pt/">A Gaffe e as Avenidas</a>, porque é falsamente blasé e mundano, a autora esconde um enorme carácter e coração debaixo da sofisticação dos bem-nascidos. Como antítese, <a href="http://alicealfazema.blogs.sapo.pt/">Alice Alfazema</a>, uma ode à simplicidade e poesia.</p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:209323 Pedro 2014-11-24T11:30:00 Meet the blogger: Jael Correia 2014-11-24T11:35:36Z 2014-11-24T11:35:36Z <p><img class="" style="float: left;padding: 10px 10px;" title="jaelcorreia.png" src="http://5.fotos.web.sapo.io/i/o13111c45/17767905_D92Gj.png" alt="jaelcorreia.png" width="150" height="150" />Colocámos 5 perguntas à Jael Correia, autora do <a href="http://coquetteaportuguesa.blogs.sapo.pt/">Coquette à Portuguesa</a>, um blog dedicado à maquilhagem.</p> <p> </p> <p><strong>Como surgiu o interesse da Jael pela maquilhagem?</strong><br />Em pequenina em brincadeiras com a maquilhagem da mãe, como qualquer miúda, mas sempre senti aquele "gostinho" extra e o caminho pelas artes ajudou a aperfeiçoar e ter uma sensibilidade de estética diferente e apurada nesta área.<br /><br /><strong>É fácil imaginar que tem um toucador gigantesco. "Gigantesco" está muito longe da realidade?</strong><br />Pelo contrário, tornou-se realidade há três anos, comprei um toucador clássico já antigo, hoje em dia já não se fazem, restaurei e recheei de maquilhagem!<br /><br /><strong>Ao experimentar um produto, o que pode correr mal, ao ponto de não o recomendar?</strong><br />Alergia, é o pior cenário, já me aconteceu, mas não somos todos iguais, com outras pessoas pode funcionar bem sem problemas.<br /><br /><strong>Um facto sobre a Jael que as suas leitoras ficariam surpreendidas por saberem?</strong><br />Como qualquer adolescente nos primeiros tempos cometi as minhas falhas graves na maquilhagem, a pior delas era usar a mesma base o ano inteiro, traduzindo, de Inverno ficava bem, de Verão andava super bronzeada e com a cara super pálida da base.<br /><br /><strong>Pode partilhar connosco um motivo de entusiasmo recente (um restaurante novo, uma série televisiva, etc)?</strong><br />É preciso bastante para me entusiasmar, por isso tem de ser algo extraordinário, é o caso por exemplo da nova série Gotham, explora uma história do Batman de uma maneira surpreendente, é o meu lado "geek" a vir ao de cima!</p> <p> </p> <p><strong>Obrigado, Jael!</strong></p> urn:lj:blogs.sapo.pt:atom1:blogs:209058 Pedro 2014-11-17T14:25:00 Meet the blogger: Miguel Marujo 2014-11-17T14:26:33Z 2014-11-17T14:28:02Z <p><img class="" style="float: left; padding: 10px 10px;" title="meetmiguel.jpg" src="http://0.fotos.web.sapo.io/i/o74145503/17745844_RzJlV.jpeg" alt="meetmiguel.jpg" width="150" height="150" />O Miguel Marujo é o autor do <a href="http://cibertulia.blogs.sapo.pt">Cibertúlia</a> e do celestial <a href="http://edeuscriouamulher.blogs.sapo.pt">E Deus Criou a Mulher</a> e respondeu a cinco perguntas nossas.</p> <p> </p> <p><strong>Pode apresentar-se?</strong></p> <p>A ordem pode não ser esta: Pai babado. Jornalista. De esquerda. Benfiquista. Católico. Leitor compulsivo: jornais, revistas, livros. Cinéfilo assim assim e melómano em estágio. Viajante. Cagaréu com mais anos de Lisboa que Aveiro. E bloguista - que um dia começou com a <a href="http://cibertulia.blogs.sapo.pt">Cibertúlia</a>, coisa de amigos, hoje feita a solo, e depois também se lembrou de Brigitte Bardot no filme de Roger Vadim.<br /><br /></p> <p><strong>Qual é o proveito de atualizar um blog como o <a href="http://edeuscriouamulher.blogs.sapo.pt">E Deus criou a Mulher</a> há mais de 10 anos?</strong></p> <p>Não faço ideia - faço-o por gosto e prazer. Como se apresenta o blog, é "até que a vista nos doa". Por enquanto não dói e como não dói atualiza-se o blog.<br /><br /></p> <p><strong>É um blog que recebe muito feedback?</strong></p> <p>O feedback é muito variado: há quem se limite a fazer likes nos posts ou no grupo do facebook, os comentários são por regra poucos ou tímidos - parece que se teme exaltar a beleza. Como se não<br />estivéssemos perante quadros renascentistas, em que se contempla a mulher, que deviam levar os críticos de arte a escreverem rios de palavras... Noto que há visitantes que vêm do Irão. Do Brasil disparam<br />as visitas quando se publicam brasileiras. Esta casa é do mundo, e disso gosto.<br />Volta e meia chegam alguns vigilantes do (bom) gosto, daqueles que criticam o facto das fotos serem a preto e branco (<em>«Stop the black and white photos They are NOT artistic. They only make your Site not worth</em><br /><em>visiting»</em>, escreveu-me um tipo) ou que criticam por "só" publicarmos anoréticas, quando as mulheres mais vezes publicadas são mais cheias e redondas que espetos. Depois há um comentário que, ainda não percebi<br />bem, o que terá significado. Num post intitulado "Sim", em que a atriz retratada está discretamente vestida, alguém anonimamente comentou: «Este blog é um insulto às mulheres com cérebro grande em vez de<br />grandes mamas.» Não sei se era por o post tomar uma posição no referendo da despenalização do aborto ou se era apenas porque quem o escreveu tem um problema qualquer com "grandes mamas".<br /><br /></p> <p><strong>Como é que um jornalista vê os blogs? Reconhece-lhe algum papel no panorama mediático?</strong></p> <p>Já houve quem sentenciasse a morte dos blogues várias vezes. E todas essas notícias revelaram-se exageradas - apesar de muitos terem perdido influência mediática: os mais conhecidos bloguistas foram<br />todos parar aos jornais e às televisões. Talvez por isso, mediaticamente, os blogues tenham deixado de ser uma fonte de informação consultada à saciedade. Há um "blogue" que tem ganho muito mais visibilidade: o facebook.</p> <p> </p> <p><strong>Existe algum tema sobre o qual devíamos falar e escrever mais hoje em dia (nos blogs, jornais, etc)?</strong><br />Tal como a imprensa, também os blogues andam a perceber como se podem "vender": há os de nicho, há os especializados, há os generalistas-diarísticos ou os generalistas-salganhada e há os da moda que muitas vezes ninguém percebe muito bem porque são lidos. No fim de tudo: há os que são lidos e aqueles a que já ninguém presta atenção. Talvez por isso não tenha receita sobre o que se devia escrever mais e<br />falar mais. Sei que, como cidadão, sinto falta de algum sangue dos primeiros tempos, em que se denunciava, em que se polemizava, mas também em que se descobriam verdadeiros talentos da escrita e da<br />fotografia e da ilustração. Talvez falte isso: sangue novo. Nos jornais, se tivesse a solução, estava safo!</p> <p> </p> <p><strong>Obrigado Miguel!</strong></p>