Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

A Equipa

O blog da equipa que mantém o SAPO Blogs. Deixe a sua dúvida ou sugestão nos comentários de qualquer post.

A Equipa

O blog da equipa que mantém o SAPO Blogs. Deixe a sua dúvida ou sugestão nos comentários de qualquer post.

Como eu blogo: Triptofano

Não, não é o aminoácido, falamos mesmo do blog. Fomos saber como o seu autor bloga.

 

Se só pudesse destacar um post seu, qual seria?

Um amigo para sempre.
Além de ter sido um dos meus primeiros posts a ser destacado foi um dos que me deu mais prazer a escrever, por ter sido algo totalmente espontâneo e nada planeado. Nunca antes tinha pensado sequer que o Macaco José poderia ser uma personagem importante deste blog, mas a partir do momento em que o post foi publicado foi o que aconteceu.
Tenho a perfeita noção que muita gente achou que eu era alguma espécie de tontinho por dar tanta atenção a um peluche, mas por outro lado houve uma mão cheia de pessoas que me começaram a seguir porque se identificaram com o facto da infância não necessitar de ser apenas uma recordação nostálgica.
Também o destacaria porque até hoje foi o único post que me trouxe comentários agressivos com teor homofóbico, e apesar de procurar dar mais importância às coisas boas da vida, não me devo esquecer das más, nem que seja para que estas nunca mais me afectem.

 

Pode mostrar-nos, numa fotografia, o seu ambiente de trabalho (físico ou virtual)?

triptofano.jpg

O local onde trabalho no blog é invariavelmente no pequeno escritório que tenho em casa. Não tenho o hábito de escrever, em papel, rascunhos dos posts nem sequer de apontar ideias. Quando quero escrever sento-me diante do teclado e deixo a escrita fluir através dos meus dedos. E quando escrevo tem que ser para publicar na hora, se guardo algum post em rascunho já sei que quando o for reler vou acabar por apagar tudo, porque a escrita é uma manifestação da nossa carga emocional daquele momento, e ao reler um texto posso estar com um humor totalmente diferente e nada daquilo me fazer sentido.
No máximo, pode acontecer ter durante o dia uma ideia incrível para um post e aí procuro um lugar isolado (muitas vezes é a casa-de-banho do trabalho) e repito quatro ou cinco vezes o post inteiro na minha cabeça, para quando chegar a casa ter que transcrevê-los apenas da minha memória para o blog.
Algo que nunca pode faltar no meu ambiente de trabalho são os fones. Não para ouvir música mas para abafar o som vindo da rua ou dos vizinhos. Para escrever tem que ser em silêncio, sem música, sem televisão, sem pessoas a conversar, porque de outra forma não consigo ouvir os textos que quero escrever a formarem-se dentro da minha cabeça.

Um blog ou site que aprecie consultar todos os dias.

Honestamente há dias que me é difícil vaguear pelo ciberespaço, mas sempre que posso faço questão de visitar o Porque Eu Posso da Fátima Bento. Gosto da forma como ela escreve, despretensiosa, sem máscaras, acerca da vida dela, do bom e do menos bom, daquilo que eu concordo e do que tenho uma opinião diferente. Ainda por cima tive a honra de a poder conhecer ao vivo e constatar que ela é o blog e o blog é ela. Não há dissociações, o que foi um facilitador para nos tornarmos amigos.

Para passar o tempo, ao ler os posts de outros autores, qual é a sua tag favorita?

Sexo. Desde o sexo forte, ao sexo dos anjos passando obviamente pelo sexo enquanto meio para atingir o prazer. O tema do sexo é algo extremamente complexo, com um potencial inesgotável mas que infelizmente ainda não é falado de uma forma aberta e sem pudores. Surpreende-me como é que nos nossos dias ainda há por exemplo vergonha de ir a uma farmácia comprar preservativos. Ou fazer perguntas acerca da saúde sexual. Sinto que cada vez temos mais acesso a informação acerca do tema mas em vez de obtermos certezas apenas ficamos carregados de dúvidas. Para mim é possível falar de sexo de uma forma natural, sem chocar e até com um toque humorístico, como eu faço no meu blog. Porém quando navego através da tag não perco tempo em posts demasiado gráficos, sejam por palavras ou por imagens. Não que tenham algo de errado, mas simplesmente não é o que eu procuro.

Um post que está sempre a adiar para amanhã.

Há imensos posts que estou sempre a adiar para amanhã. Muitos deles são acerca de temas mais complexos que necessitam de alguma pesquisa para eu ficar satisfeito com o resultado final. No entanto como a minha escrita é mais espontânea há uma colisão entre o que eu quero escrever e o meu método de escrita.
Porém há um em especial que não diria que estou a adiar, porque não depende apenas de mim, mas que espero com toda a minha força poder escrever no futuro.
O título seria O dia em que a Ana Malhoa cantou no meu casamento.

 

Obrigado, Triptofano!

Como eu blogo: Alexandra (Mais mulheres por favor)

masmulheres.jpg

Quisemos ficar a conhecer um pouco melhor a Alexandra, autora do Mais mulheres por favor, o blog onde partilha as suas leituras no feminino.

 

Se só pudesse destacar um post seu, qual seria?

Destacar um post nesta fase do blog é uma tarefa complicada. O Mais Mulheres Por Favor foi criado há poucos meses e há um universo imenso por explorar e partilhar, um universo que ainda estou a descobrir. Ainda assim, tenho um carinho especial pela opinião que escrevi sobre Um Quarto Só Para Si, de Virginia Woolf, livro que foi determinante para decidir, finalmente, iniciar este projecto (esteve muito tempo apenas num caderno).

Pode mostrar-nos, numa fotografia, o seu ambiente de trabalho (físico ou virtual)?

mais.JPG

Este nem sempre é o meu ambiente de trabalho já que tenho uma grande tendência para pegar no computador e levá-lo para outras zonas do quarto/sala, como a poltrona, o sofá ou a cama. Sempre que escrevo sobre um livro tenho de o ter ao lado para ir revendo as minhas anotações, se for outro o assunto, não preciso de mais nada para além do computador.

Um blog ou site que aprecie consultar todos os dias.

Nem sempre consigo visitar os meus blogs favoritos todos os dias, mas o meu preferido, que tento acompanhar com a máxima regularidade, é Em Linha Recta, da Cristina Nobre Soares. Sou completamente apaixonada pela sua escrita e pelo conteúdo que produz, pela forma como descreve certos aspectos da vida, como se não fizesse qualquer esforço para colocar por escrito as palavras que tantas vezes (todos nós) temos na mente, como se as palavras apenas lhe nascessem dos dedos. Adorava ler um livro seu, que, ao que parece, "anda para ser terminado há uma eternidade".

Para passar o tempo, ao ler os posts de outros autores, qual é a sua tag favorita?

Livros, sem dúvida. Sou completamente viciada em ler opiniões sobre livros (quer já os tenha lido ou não) e é à custa da leitura deste tipo de posts que as minhas listas de "livros a comprar num futuro próximo" e "livros por ler que já moram cá em casa" começam a ultrapassar os limites do razoável. Há tantos livros por ler, mas, enquanto tentamos dar conta deles, estão constantemente a ser editados novos livros de autores dos quais já conhecemos algumas obras e queremos ler mais, que não conhecemos obra nenhuma mas queremos ler muito, de autores que nem sabíamos que queríamos ler mas cuja sinopse nos deixa loucos. Ler sobre livros reaviva-me diariamente esta paixão, um tanto descontrolada.

Um post que está sempre a adiar para amanhã.

Está em falta um post sobre Quem é Bárbara Virgínia?, de Luísa Sequeira. Trata-se de um documentário que fui ver no Doclisboa'17, no final do mês de Outubro, sobre a primeira mulher em Portugal a realizar um filme, na década de 40. É uma mulher que raramente é falada, quer em Portugal, quer na história do cinema em geral (na época, foi a realizadora mais jovem do mundo!) e que teve uma importância enorme se pensarmos na época em que viveu e na forma como se evidenciou, lutando contra uma sociedade de mente totalmente fechada e sem apreço pelo trabalho feito pelas mulheres. O primeiro filme que realizou, Três Dias Sem Deus, foi um grande sucesso, tendo sido nomeado para a primeira edição do Festival Internacional de Cinema de Cannes. Infelizmente, este e outros factos associados a Bárbara Virgínia passam despercebidos a tanta gente, algo que é um autêntico abre-olhos para aquilo que ainda há por fazer no que diz respeito à divulgação do papel das mulheres na cultura. Este documentário tem uma força incrível, inspirou e emocionou-me muito, tenho mesmo de falar sobre ele!

 

Obrigado, Alexandra!

Como eu blogo: Fui ao Cinema... e não comi pipocas!

O ambiente de trabalho da blogger que fomos conhecer podia ser uma sala de cinema. A Inês, autora do blog Fui ao Cinema... e não comi pipocas!, diz-nos como bloga.

 

Se só pudesse destacar um post seu, qual seria?

Tenho de escolher a Sinopse. No fundo, é o resumo de tudo: porque é que o blog começou, onde fui buscar a ideia para o nome... Se querem saber porque é que o Fui Ao Cinema existe, grande parte da razão está ali. Claro que ao longo do tempo fui escrevendo outros posts e entradas dos quais me orgulho bastante, e que guardo com carinho, mas esta foi o passo 0 para esta aventura.

 

Pode mostrar-nos, numa fotografia, o seu ambiente de trabalho (físico ou virtual)?

Fui-Ao-CinemA.jpg

Posso mostrar uma parte desse ambiente. Eu escrevo um pouco por todo o lado, e nunca tenho um sítio fixo para o fazer. Porém, três coisas não podem faltar: o meu caderno/calendário onde guardo os temas que tenho pensados, a minha caneta e o computador, onde tudo ganha vida. Por norma passo das ideias no papel, para as palavras no teclado, e estes três objetos são indispensáveis para isso. E claro, um wallpaper inspirador!

Um blog ou site que aprecie consultar todos os dias.

Verdade seja dita, não existe um blog ou site que consulte diariamente por interesse; apesar dos filmes serem a minha paixão, prefiro aproveitar parte do meu tempo fora do trabalho com o minimo de ecrãs possível. Prefiro a leitura dos livros, e essa sim, acompanha-me sempre. Concluindo: o Facebook acaba por ser o meu agregador de informação. É lá que sigo os blogs e sites de que mais gosto, e onde consulto as novas publicações sempre que me interessam.

Para passar o tempo, ao ler os posts de outros autores, qual é a sua tag favorita?

Adoro viajar, por isso, tudo o que tenha a ver com viagens é ideal para mim. Gosto de ver os roteiros, as fotos e as opiniões de quem já passou pelos quatro cantos do mundo. Mas acho que onde passo mais tempo é a ver receitas e #foodporn. Apesar de não ser grande cozinheira, adoro ver novas receitas e procurar novos pratos que imagino que sou capaz de confecionar – se bem que acabo sempre por apenas comer!

Um post que está sempre a adiar para amanhã.

São tantos! Guardo uma lista de todos os tópicos e temas de que gostava de falar no blog. Para me manter organizada, tento ter um calendário com os temas que quero abordar, e quando vou conseguir escreve-los. Um dos que estou sempre a adiar é um vídeo com a primeira reação a um trailer ou filme, mas faltam-me os meios técnicos. Estou sempre à procura de novos temas! Alguém tem sugestões?

 

Obrigado, Inês!

Como eu blogo: Cristina Nobre Soares

cristina.jpg

Convidámos a Cristina Nobre Soares, autora do blog Em linha recta, a partilhar connosco o seu ambiente de trabalho.

Se só pudesse destacar um post seu, qual seria?

Ui. Nunca sei como responder a isso. Talvez o último (que não me lembro neste momento qual é). Os outros, quando os leio, fico sempre com vontade de os alterar, nem que seja numa palavrinha ou duas.

Pode mostrar-nos, numa fotografia, o seu ambiente de trabalho (físico ou virtual)?

cristina.jpg


Um blog ou site que aprecie consultar todos os dias.

O Delito de Opinião. Já nos seguimos mutuamente há uns bons anos e tem um painel (como agora é moderno dizer) de autores mesmo muito bom. É bom chegar a um sítio onde a diversidade de opiniões é grande. Coisa que começa a ser rara nos dias que correm. Liberdade de expressão é isso mesmo: diversidade de opinião às claras, sem medo. Há dias em que me dá à sensação que vivemos em tirania de opiniões siamesas, toda a gente tem de pensar o mesmo e ai de quem pense diferente.

 

Para passar o tempo, ao ler os posts de outros autores, qual é a sua tag favorita?

Embirro um bocadinho com as tags. Aliás, não as uso no meu blogue  e cheguei a fazer um post sobre isso. Tenho alergia a rótulos e etiquetas e uma tag parece-me uma coisa demasiado redutora para além de ter ar de tema de redacção.
Prefiro ler os posts pela sua  ordem cronológica. O tempo é o melhor fio condutor de todos. E também a melhor etiqueta.

Um post que está sempre a adiar para amanhã.

Não é um post. É um livro. O que anda para ser terminado há uma eternidade.

 

Obrigado, Cristina!

Como eu blogo: Vera Gomes

vera.jpg

Esta semana, na nossa rubrica que dá a conhecer como os autores do SAPO Blogs blogam, fomos entrevistar a Vera, autora do blog Escadinhas.

 

Se só pudesse destacar um post seu, qual seria?

O blog "Escadinhas do Quebra Costas" existe já há muitos anos. Criei-o quando me mudei de Lisboa para o Porto (Sim, as Escadinhas do Quebra Costas existem em Lisboa – e em Coimbra também) e mantive-o quando me mudei para Bruxelas em 2013. Comecei a escrever por "carolice", por contar algumas das histórias estapafúrdias que me aconteciam (como por exemplo, arrombar a minha própria casa para depois descobrir que tinha a chave no bolso). Claro, que ao longo dos anos, fui ganhando juízo, e o blog foi também sofrendo transformações. Comecei a escrever mais sobre os livros que leio, os concertos que assisto, as viagens que faço.

Apesar de ser portadora de uma doença auto-imune desde 2007, foi em 2016 (um ano muito difícil em termos de saúde) que decidi começar a escrever sobre Doenças Inflamatórias do Intestino; sobre a minha experiência como portadora de Colite Ulcerosa e acrescentar uma outra dimensão ao blog :  informação/sensibilização para as DII. Ao fim de 9 anos de diagnóstico falar abertamente e sem filtros sobre o assunto não foi fácil. Entrei numa fase em que achei que a minha experiência pessoal, o meu estúpido sentido de humor poderia ajudar outros portadores de DII e também quem os rodeia. Por isso, destaco o post: #IBDVisible 10 coisas que dispensamos ouvir

Pode mostrar-nos o seu ambiente de trabalho (físico ou virtual)?

Estou em plena mudança de casa. Se vos mostrasse neste momento qualquer parte da minha casa, seria um aglomerado de caixas de cartão. Para ser sincera, eu preparei um cantinho na casa que agora deixo para escrever com uma árvore lindíssima que me fez companhia dias a fio. No dia-a-dia, e por andar sempre a correr de um lado para o outro, não tenho propriamente um ambiente de trabalho físico específico quando escrevo no blog. Tanto pode ser no sofá com os pés em cima da mesa, como pode ser via telemóvel no carro/ metro, como no parque. Em alternativa, mostro-vos o meu local de trabalho, onde passo a maioria das horas do meu dia.

verag.jpg

 

Aviso desde já que meu nível de criatividade está diretamente relacionado com a desarrumação em que me rodeio.  Por incrível que pareça, esta é a versão arrumada da minha secretária no escritório (que nada tem a ver com o Escadinhas, mas dá para perceber o meu nível de criatividade!( Normalmente há comida, post-its, guardanapos e sei lá mais o quê…) (Ah! E os chocolates são para oferecer aos colegas que entram no meu gabinete… Eu estou curada do meu vicio de m&m's e agora só como – raramente – chocolate preto).

Um blog ou site que aprecie consultar todos os dias.

Tenho uns 4 ou 5 blogs que consulto todos os dias. Mas provavelmente aquele que não falho é o Casal Mistério. Como tenho algumas restrições alimentares e em casa uma pessoa que ADORA cozinhar (que se tornou basicamente no meu cozinheiro pessoal), andamos sempre à cata de receitas novas para experimentar. No Blog do Casal Mistério encontro com frequência receitas, que com um ou outro ajuste, me permitem ter receitas fáceis de fazer e novas. Todas as semanas! ;) Senão, encontro referências para outros sites/ blogs de culinária que me permitem alargar a busca. Já para não falar de sugestões de restaurantes e sítios a visitar quando regresso a Portugal ;)

Para passar o tempo, qual é a sua tag favorita?

Livros. Sem sombra de dúvida! Adoro ler, apesar de não ter o tempo que desejaria para pôr as minhas leituras em dia. Contudo, como agora vivo fora de Portugal, tento manter-me a par das novidades da lusofonia, em particular, mas também, para que, aquando de uma viagem à pátria, me abasteça para os meses seguintes de livros escritos em Português.  

Um post que está sempre a adiar para amanhã.

Esta é fácil de responder. De vez em quando há alguém que comenta os meus posts com afirmações que me levam a pensar "mas… a sério?!" ou "dasssss!..." (e por vzes outras palavras mais explicitas mas que creio não ser boa ideia escrevê-las aqui na totalidade). Por exemplo aqueles comentários que dizem que eu tenho que "ser" ou fazer uma dieta super esquisita para curar a doença incurável que tenho. Ou que, por partilharem uma opinião diferente da minha, partem para o insulto ou agressividade. Depois penso um post para responder a essas pessoas, explicar, esclarecer, fazer um desenho. Escrever um post requer tempo, energia e disponibilidade mental. E para um post deste tipo, confesso… ainda não chegou o dia que tenho energia suficiente para o escrever.

 

Obrigado, Vera!

Como eu blogo: Rita da Nova

rita.jpg

Fomos espreitar o ambiente de trabalho da Rita da Nova, que usa o blog para falar das suas pessoas e coisas preferidas.

 

Se só pudesse destacar um post seu, qual seria?

Tentei encontrar um post que resumisse tudo aquilo que compõe o meu blog: o meu amor aos livros, à cozinha, às viagens e às histórias que fizeram de mim quem sou. Infelizmente este só mostra que era uma criança muito embirrante. Chama-se Comer em Casa? A Rita não quer e gosto de pensar nesta história como a origem do meu gosto por comer fora.

 

Pode mostrar-nos, numa fotografia, o seu ambiente de trabalho (físico ou virtual)?

ambienterita.jpg

O meu ambiente de trabalho varia muito, porque na verdade escrevo em qualquer lado. No portátil, nas notas do telemóvel, no caderno. Dentro e fora de casa. Confio demasiado nos ataques de inspiração repentinos e felizmente - até agora - nunca me falharam. Ainda pensei em mostrar-vos o meu ambiente de trabalho digital, mas sou demasiado arrumada e não tenho pastas e documentos para o preencher. Por isso, deixo-vos o ambiente de trabalho que é mais ou menos constante: a mesa da sala e as mensagens que estão por todo o lado.

 

Um blog ou site que aprecie consultar todos os dias.

Sou muito pouco constante nas leituras. Acabo por depender mais das newsletters (subscrevo demasiadas) e é a partir daí que vou ter a diferentes conteúdos. Aqui pelo SAPO comecei recentemente a usar mais a minha área de Leituras e agora não passo sem consultar pelo menos uma vez por dia. Não que leia todos os posts que lá estão, mas para ter uma noção do que se anda a passar.

 

Para passar o tempo, ao ler os posts de outros autores, qual é a sua tag favorita?

Pela natureza do meu blog, é sem dúvida a tag viagens. Comecei este cantinho para partilhar relatos e dicas de viagens, mas aos poucos foi-se alargando a quase tudo o que me faz feliz. Ainda assim, como estou sempre a planear a próxima viagem, uso os blogs SAPO como ajuda e inspiração.

Um post que está sempre a adiar para amanhã.

Tenho vários - tenho uma lista, até. Gostava de vos mostrar o que está dentro do meu frigorífico, só porque mostrar o que anda dentro da minha mochila já está demasiado visto e porque prefiro comida a outros temas. Também tenho planeado (ad eternum) um post sobre os meus life hacks favoritos, grande parte dos quais aprendi com a minha Avó, e outro sobre os meus guilty pleasures. Obrigada por me terem feito perceber que sou uma procrastinadora irremediável.

 

Obrigado, Rita!

Como eu blogo: A minha namorada apanhou o bouquet

pa_avatar.jpg

A namorada apanhou o bouquet e ele decidiu criar um blog, um dos mais bem-humorados do nosso bairro. Fomos saber como bloga o P.A.

 

Se só pudesse destacar um post seu, qual seria?

Na realidade é uma pergunta a que a resposta se foi alterando ao longo do tempo.

Quando criei o blog [creio que o motivo é auto-explicativo] o objectivo era claro: Que fazer agora que ela apanhou o bouquet? Por favor digam-me que não significa nada e acabo já com isto. No entanto, esse objectivo foi também ele alterado à medida que o blog se tornou não só um local temático e casamenteiro, mas também onde passei a exorcizar o meu alucinado heterónimo a que chamei de P.A. Nesse ponto de vista e atendendo ao prazer que me deu a escrever e ao impacto que teve, tenho de destacar o post do Eu gosto do Busto do Ronaldo. Pela primeira vez, senti que o que escrevemos pode não só animar muita gente, mas também de alguma forma irritar algumas pessoas com dedos mais efervescentes no teclado.


Pode mostrar-nos o seu ambiente de trabalho (físico ou virtual)?

pa.jpg

A partir daqui responde o P.A. está bem?
Basicamente é assim que costumo escrever. O portátil nem sempre é fundamental, mas o gato Eliseu sim. É uma espécie de pata de coelho da inspiração, mas em formato de gato inteiro. O problema é quando inspiro em demasia. Ele tem muito pêlo.
Essa história das patas, nunca percebi como é que deixar os animais pernetas nos pode dar mais sorte. No máximo, eles é que ficam com mais azar do que nós. Só se for por aí a matemática da coisa.


Um blog ou site que aprecie consultar todos os dias.

Vou-me sentir-me um P.A cliché ao dar esta resposta. Até porque quando a lia, franzia sempre as sobrancelhas. Mas é mesmo verdade, infelizmente não tenho tempo suficiente para consultar todos os blogs que queria. E a culpa nem é minha, é vossa. Sim, vossa, da vossa oferta que é demasiado atraente e boa [como a vizinha do segundo esquerdo]. É uma chatice ter de ir trabalhar para poder ter dinheiro para a minha vida e estar com a namorada. Depois claro, não há tempo para dar uma olhadela na vizinha.
No entanto, tenho de destacar um blog não só pelo seu conteúdo, mas também pela pessoa que se gosta na hora e que, para quem já conhece o meu blog, em muito ajudou à criatividade do P.A que hoje existe. Estou a falar do Blog Oh por favor da grande [em termos de personalidade, não peso] Maria.


Para passar o tempo, qual é a sua tag favorita?

Não é somente a minha tag favorita quando tenho algum tempo para pesquisar, mas também a tag que mais uso nos meus posts. Falo obviamente da tag humor. Enquanto nos meus posts a uso de forma irónica e apenas para caçar visitantes, quando a pesquiso, encontro de facto posts muito bem humorados. Felizmente ainda há gente boa e honesta neste mundo das tags. Aconselho bastante, particularmente quando estamos a precisar daquele ânimo extra. Experimentem. Vão gostar.
Nos meus posts, ainda me apanharam as primeiras vezes mas agora já não clico.


Um post que está sempre a adiar para amanhã.

Tenho alguns rascunhos mas a primeira resposta que me surgiu foi um post com o seguinte título:
“Podem Descansar, Pedi-a em Casamento!”

Obrigado, P.A.!

Como eu blogo: Joana Marques

joanamarques.jpg

Fomos saber como a Joana Marques, a autora do Quiosque da Joana, bloga.

 

Se só pudesse destacar um post seu, qual seria?

O post que mais gostei de escrever foi Eu queria ser um avião.
Foi logo no início, ainda o blog não tinha um mês. E por isso, tenho ideia que foi muito pouco lido. É um post que tenho sempre destacado no blog, por ser importante para mim. A miúda que está retratada nesse post sou eu. Sem tirar nem pôr.
Estou mais velha, claro! Mas a impulsividade, o falar pelos cotovelos e a vontade de ser um avião ainda por cá andam.

 

Pode mostrar-nos o seu ambiente de trabalho (físico ou virtual)?

ambientedetrabalho.jpg

Gostava de vos mostrar um ambiente de trabalho digno da capa de uma revista mas estaria a mentir. Este espaço tem como título: “como eu blogo”. É assim que eu blogo. À noite, depois de jantar e no sofá! Com dois olhos sempre atentos! Ou melhor, 4! Os meus e os do Vasco!

 

Um blog ou site que aprecie consultar todos os dias.

Ao fim de semana tento pôr a leitura em dia, leio os blogs que tenho subscrito. Durante a semana também passo os olhos pelas leituras e leio um ou outro post. Mas existem dois blogs que consulto sempre que têm novidades.
Tenha tempo ou não.
Sou fã e por isso não deixo para amanhã o que posso fazer hoje!
Assim, não posso destacar um. Tenho de destacar dois.
Um é poesia, outro é prosa!
Um é o do João e o outro é o da Mariana.

 

Para passar o tempo, qual é a sua tag favorita?

Normalmente, não costumo pesquisar por tags. E quando as uso no blog é mais para me organizar. Depois de ter colocado os separadores comecei a ter mais atenção. Se tiver mesmo de escolher, escolho aquela que acabo por procurar mais: follow friday. Sempre que o SAPO nos presenteia com este dia especial dou sempre uma olhadela para ver o que é que os outros recomendam e andam a ler.

 

Um post que está sempre a adiar para amanhã.

Não tenho.
Durante o fim de semana vou delineando os posts da semana. Tiro as fotografias que preciso, por exemplo.
Durante a semana, como já referi, à noite, depois de jantar e no sofá decido o que vou publicar no dia seguinte. O Quiosque é um diário, é o meu diário. O que faz sentido hoje pode não fazer amanhã.
É claro que a vida e o Vasco me trocam as voltas, quase todas as semanas e acabo por adiar um ou outro post, no máximo um ou dois dias.

 

Obrigado, Joana!

Como eu blogo: O melhor pai do mundo

marcio.jpg

Fomos conhecer o Márcio, autor do blog O melhor pai do mundo, recém-chegado ao SAPO Blogs.

 

Se só pudesse destacar um post seu, qual seria?

Escolher a minha história favorita é difícil, cada uma tem um pouco daquilo que sou como Pai. Mesmo assim destaco a história Pai, tu és o meu melhor amigo, tem paixão, é muito autêntica e mostra bem aquilo que é a minha mensagem como Pai que passa por ter uma relação de grande cumplicidade com os filhos.
 
Pode mostrar-nos o seu ambiente de trabalho (físico ou virtual)?

onde-eu-blogo-1000x750.jpg

Escrevo em qualquer cantinho. Normalmente aponto uma ideia no telemóvel, depois continuo no tablet se estiver a viajar. Mas é no computador da família que concretizo as ideias e faço a gestão do blog. Aí o computador faz um convívio com o resultado das brincadeiras, sejam peças de Lego, desenhos ou outros brinquedos.
 
Um blog ou site que aprecie consultar todos os dias.

Como podem imaginar, o meu mundo digital está inundado de referências de sites e blogs para Pais, Mães, Filhos e tudo o que mexe neste tema. Gosto muito de ver os vídeos do Marcos Piangers, seguir o Papo de Pai e claro as referências nacionais como o Cocó na Fralda, o Duas para Um, o Aos Pares e por aí fora.
 
Para passar o tempo, qual é a sua tag favorita?

Sem dúvida que viagem. Adoro planear viagens em família, sejam para o estrangeiro, sejam para passear no nosso país. Nesse planeamento gosto de ler a perspetiva de outras pessoas e aí procuro sempre blogs que descrevam os locais e as experiências que podemos usufruir.
 
Um post que está sempre a adiar para amanhã.

Tenho várias histórias que vou escrevendo ao longo do tempo, porque não ficam fechadas logo à primeira. Uma história que estou sempre a adiar o seu final é “Pai, e se a tua profissão fosse ser Pai”. É uma perspetiva daquilo que poderia ser a minha vida, ser Pai a tempo inteiro e inspirar outros Pais a ser O melhor Pai do Mundo.

 

Obrigado, Márcio!

Como eu blogo: Elza Cordeiro

A Elza, jornalista e autora do E se eu pedir com jeitinho?, respondeu ao nosso inquérito sobre o seu blog.

 

Se só pudesse destacar um post seu, qual seria?

Só um? Não consigo! Mas aqueles que são mais comentados, seja no blogue ou através do email, são mesmo os que falam sobre relações amorosas. Principalmente nós (mulheres) sentimos uma necessidade(zinha) básica de nos debruçarmos sobre os assuntos do pequeno órgão vital… é inevitável!

 

Pode mostrar-nos, numa fotografia, o seu ambiente de trabalho?

elza.jpg

Não é visualmente muito interessante… mas é onde estou mais confortável! Em casa :)


Um blog ou site que aprecie consultar todos os dias.

O blogue Casal Mistério. Adoro a ideia deste ‘’casal secreto’’, e como gosto  muito de comer, de receitas e de sugestões de restaurantes… volta e meia vou espreitar.

Para passar o tempo, ao ler os posts de outros autores, qual é a sua tag favorita?

A tag Fotografia! Adoro…. perco algum tempo a ver fotografias na internet. Especialmente de lugares que quero conhecer.  Por motivos profissionais,  a tag ‘’pessoas’’ também me ajuda muito! Como jornalista ando sempre à caça de boas histórias.

Um post que está sempre a adiar para amanhã.

Hum…. Imensos! Tenho sempre muitas ideias na cabeça mas pouco tempo para as escrever. Talvez os posts que acabo por adiar mais sejam aqueles que envolvem receitas. Como preciso de fotografar, editar… tornam-se mais trabalhosos e acabam sempre guardados lista do ‘’próximo fim de semana’’.

 

Obrigado, Elza!

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2006
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.