Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

A Equipa

O blog da equipa do SAPO Blogs. Um espaço para falar de blogs, esclarecer dúvidas e partilhar boas ideias.

O que vamos ler estas férias?

08.07.19 | Pedro Neves

casalnapraia.jpg

Sentimos a curiosidade de conhecer as leituras de verão da comunidade e fomos questionar diretamente alguns autores. Pedimos-lhes que partilhassem connosco os livros que vão levar consigo de férias e, com base em férias passadas, que títulos recomendam. As suas respostas, submetidas por e-mail, seguem abaixo.

 

pedroc.jpg

Pedro Correia, autor e fundador do blog Delito de Opinião:

Este ano tracei como meta essencial ler autores portugueses – designadamente romances e novelas do século XX. Assim, na bagagem para férias levarei três livros que há muito constam da minha lista: A Casa Grande de Romarigães (Aquilino Ribeiro), A Torre de Barbela (Ruben A.) e Um Deus Passeando Pela Brisa da Tarde (Mário de Carvalho). Pena não encontrar em lado nenhum Trabalhos e Paixões de Betino Prada, de Fernando Assis Pacheco – há muito esgotado. Seria o quarto volume a incluir na bagagem.

Seguindo o mesmo raciocínio, recomendo três romances de autores portugueses editados pela primeira vez no século XX: A Cidade e as Serras, de Eça de Queiroz, Sinais de Fogo, de Jorge de Sena, e Hotel Lusitano, de Rui Zink. Cada qual a seu modo, são três livros em que o tema férias está presente. Férias no campo, com Eça. Férias na praia, com Sena. Férias em Lisboa, com Zink. Três formas de ver Portugal. E de aproveitar muito bem o tempo.

 

Joana Cordeiro, autora e fotógrafa de serviço no blog The Pawtrait:

Estou a pensar levar comigo Animal soul (Robert Bahou) e Untold: The Stories Behind the Photographs (Steve McCurry). Ambos são dois fotógrafos me inspiram e fascinam imenso no dia a dia, porque por de trás de uma fotografia há uma história, há uma personalidade, há uma vida!

Recomendo Cão como nós (Manuel Alegre) e Um Gato De Rua Chamado Bob (James Bowen) sem dúvida! 

 

Rui Pereira, do blog Bike Azores:

Está Tudo F*dido, de Mark Manson. Porque a esperança deverá ser a última a morrer.
Por uma questão de coerência com a primeira resposta, A Arte Subtil De Saber Dizer Que Se F*da, de Mark Manson. Aproveitemos as férias porque o melhor não está necessariamente para vir.

 

Ana Eugénio, autora do blog busy as bee on a rainy day:

Livro que vou levar de férias: Becoming Michelle Obama - porque Michelle Obama é para mim uma referência de integridade e inteligência. E tenho muita curiosidade em conhecê-la um pouco mais.
Recomendo The Book of Joy - Lasting Happiness in a Changing World - contado por Douglas Abrams sobre o reencontro e a semana de His Holiness Dalai Lama e Archbishop Desmond Tutu, no 80º aniversário de Dalai Lama.

 

Paulo Prudêncio, autor do blog Correntes:

São perguntas difíceis. Leio muito todo o ano. Nas férias fora de casa, talvez leve o volume 4 da série Sebastian Bergman, Menina Silenciosa, de Hjorth & Rosenfeldt, A sociedade do cansaço de Byung-Chul Han e a obra completa de Nuno Bragança. O que aconselharia? Aconselho clássicos. Cada vez os aconselho mais, se me é permitida a ousada do conselho. Quem nunca passou pelo Em busca do tempo perdido, de Marcel Proust ou pelo Ulisses de James Joyce (aconselho, no caso do Joyce, a ler primeiro o curto Retrato do artista enquanto jovem), as férias são uma boa oportunidade para começar o primeiro porque tem 7 volumes. A saga Millennium (basta os 3 volumes iniciais) do Stieg Larsson não é um clássico, mas empolgará as férias. O Bartleby do Herman Melville é um curto fascínio e um clássico obrigatório.

 

Sofia Loureiro dos Santos, autora do blog Defender o Quadrado:

Levo comigo A saga de Selma Lagerlöf - de Cristina Carvalho, e Estoril um romance de guerra - de Django Tiago Stankovic.
Sem dúvida um livro que de vez em quando releio: O Tempo e o Vento - de Erico Veríssimo.

 

José da Xã, autor do blog LadosAB:

Tenho muitos livros em atraso para ler. No entanto já estão separados O Homem de Irving Wallace, um clássico que será O Doutor Jivago de Boris Pasternak e se houver tempo reler Os Maias de Eça de Queirós.
Xiii. Resposta difícil. Mas há dois que gostei especialmente Esteiros de Soeiro Pereira Gomes e O Valente Soldado Scheivk de Jaroslav Hasek. Depois há sempre o Charles Bukowski cuja leitura não é naaaaaaaaaada fácil, mas que eu considero um dos bons escritores americanos do século XX.

Obrigado a todos! Partilhem as vossas leituras e recomendações nos nossos comentários ou com a tag leituras de verão.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.